sexta-feira, 21 de julho de 2017

Noite De Lágrimas

Com sangue de outro alguém em suas mãos
Arrastando as correntes por entre a escuridão
Mataste a mãe, o pai e o pequeno irmão
Com um olhar assassino, esfaqueou-o sem compaixão.

O medo deixara seu corpo gélido
O horror em seus olhos pálidos
Seus dedos tão rudes e mal cuidados
Os pés na escura lama, descalços
Não há no mundo quem conseguisse explicar
A agonia que predominava no ar
O fraco suspiro doado pelo corpo
O socorro expulso pelos lábios sem dono, sombrios
E aquelas lágrimas que desmaiavam sobre a pele
Juntando-se aquele pensamento em leito.

Força mais destrutiva que dos demônios de Tsavo
Mais confusa que a de um louco alucinado
Uma pobre alma feita de sonhos inacabados
Um ser humano farto, sanguinário
Possuído por um pensamento inimaginável
Com uma agressividade incontrolável.

Com um corte aquele sentimento se foi
Com uma lâmina vinda da cozinha se suicidou
E um mistério dos seus motivos se imortalizou
Eis que havia deixado sobre seu corpo um poema rancoroso
Que jamais haveria de ser lido de novo
As almas foram levadas para a escuridão daquela noite.

segunda-feira, 17 de julho de 2017

Apenas Pensamentos

Acho que não conseguirei entender
Como as pessoas são ignorantes e cínicas
Como a cobiça e egoísmo tornaram-se um ser vivo
Pessoas que dizem que, acima delas só Cristo
Mas as leis de Deus elas contradizem
Menosprezam as mulheres, que aprovam mesmo assim
Ajudar o próximo é apenas uma orientação sem valor
Essas mesmas pessoas que falam de Jesus sem demonstrar compaixão
Dizem que pertencem a uma religião, mas não estendem as mãos
"Só Deus poderá nos julgar"
Provas de hipocrisia não irão faltar
Esbanjando ouro e prata na descida da praça
Sendo que após a morte não levarão nada
O ouro poderia alimentar um povo
Mas da forma que é consumido, acaba deixando os outros mortos.

Hoje eu realmente não entendo o fascínio por um tal "gosto"
Acabei descobrindo uma nova espécie de "bobos"
Nos tais encontros de sábado a noite,
Acontecem exibições que tornaram-se normais para os olhos
Me espantei quando vi uma garota, mais nova do que eu,
Se despindo quase que por completo para um grupo de lobos inquietos
Acho que não existe mais relações como Julieta e Romeu
As mulheres lutaram tantos anos para isso?
Será que o foco da luta delas resultou em mostruários explícitos?
Pensava que era conquistar a liberdade e igualdade
Mas não a total exposição,  com falta de respeito interior
Agindo com total ausência do amor
Eu penso que a mulher é mais crucial que os homens
Aprendi tudo com minha mãe,
E me lembro de eu e meu pai brigando
Mas está difícil enxergar algo além de pele e seios,
Nas novas mulheres não penso em um futuro correto
O machismo por mim não é bem visto, não confundam o texto agora lido
O mais incrível são aquelas pessoas que exigem,
Mas não são dignas de respeito nem mesmo de um preso
Que enxergam beleza sem imperfeições na frente do espelho.

Jamais entenderei esta nova geração
Este novo conceito de diversão
Parece que o sexo passou a ser moda de verão
Que os menores de idade estão seguindo na mesma direção
Acho que me perdi no caminho, por isso me sinto sozinho
Paixão tornou-se método de convencimento do tal "tesão"
Hoje não se sabe mais onde foi parar a verdadeira relação,
Pois o que tomou o mundo fora o efeito da "curtição"
Não há mais romance, apenas más intenções.

A sinceridade é como a água escassa, difícil encontrar
Não há mais verdades para se acreditar
O mundo mudou e eu não estava preparado,
E hoje me sinto um ser com defeito, problemático
Talvez eu esteja errado em pensar que está tudo diferente,
Talvez por ficar muito no quarto, esqueci de viver o presente
Poderia eu estar vivendo em um passado no qual eu gostaria de voltar?
Essa realidade de prostituição, poluição vindas de dentro da televisão,
Das supostas "músicas" que desrespeitam a boa tradição
Essa realidade me apavora, tenho medo do mundo lá fora
Hoje as ruas estão deveras perigosas e as mentes estão totalmente em órbita
Acho que esta década pariu jovens sem grandes metas
Eu? Sou um deles, parece que, em minha mente faltam algumas peças
Esta nova juventude só pensa em coisas indiscretas
Eu ainda acreditei que existiam pessoas singelas,
Porém, ao notar o curso da correnteza, percebo que estou a sonhar
Melhor aceitar e simplesmente acenar.

Muitas foram as vezes que pensei que nasci com algum problema,
Que meus pensamentos me apontavam para uma rota controversa,
Que minha vida estava sendo preenchida com palavras fictícias
Pois sempre pensei que a gratidão não tinha valor comercial,
Que a amizade era de fato algo especial, sagrado
Mas os novos tempos estão provando que eu estava mal informado,
Que tudo o que eu pensava ser adequado era um conto fantasiado
A vida está me ensinando a ser um ser desalmado,
Totalmente controlado, sem uma opinião que se destaque na multidão,
Que não tenha um gosto diferenciado, eu estou apavorado,
Mas não há nada a ser feito para mudar e o passado não retornará
Aqueles tempos onde existia respeito estarão apenas em um livro de História empoeirado
Quando os homens compunham músicas para suas preciosas musas,
Quando uma simples partitura era chamada de culta
Hoje infelizmente predominou no Brasil uma nova postura
Se Heitor ainda estivesse vivo, estaria lastimando, com o seu charuto de um metro de altura.

Tom e Vinicius devem estar abatidos
Os tempos são outros, está fácil ganhar dinheiro, mas difícil viver nisso
Esta nova "cara" é incompreensível
Como podem adorar crimes e aceitarem o vício?
Ainda me convidam para experimentar isso e aquilo
E se discordo, julgam, acusando-me de ser um falso amigo
Então talvez o problema esteja aqui, comigo
Pois não entendo o que vejo, o que hoje estou ouvindo
E agora me vejo recolhendo meus pensamentos, para não serem destruídos
Não sei como o futuro virá, mas sei que tende a piorar
As mudanças chegarão para me destroçar
Não sei se este novo mundo possuí espaço para um "eu te amo"
Parece mais sobrevivência do mais egoísta, para continuar vivo até o final do ano
Era isso mesmo que o passado estava reservando?
Que medo, logo começarei a notar mudanças em mim, logo entrarei em pânico
Os novos costumes acabaram alterando quem um dia eu fui,
E me tornarei quem sempre evitei, sem intuito.

domingo, 16 de julho de 2017

Até O Cometa Hale

Chorando de saudade
Querendo falar com minha cara metade
Liguei e o pai dela disse que já era tarde
O que aconteceu foi a seleção natural de Darwin
Uma predadora acabou devorando a tristeza que havia dentro de mim
Minha prometida, como a de Beethoven
Eu percebi a muito tempo que não poderia viver sem
E hoje ela tem meu amor e afeto honesto
Quero me desculpar por estar ocupado direto
Mas é por que quero construir o futuro predileto
Porém os pais dela não me deixam ver ela
Passei então a espera-la sorrateiramente embaixo da janela
O amor que sinto não possui rédeas
É uma livre, leve e solta fera.

Mesmo em uma situação complicada, eu farei o necessário
Irei ignorar essa dor antipática
Quero apenas entrega-la este meu diário
Já que me impedem de dizer, encontrei um modo prático,
Escrever o que sinto, que sinto muito pela ausência
Darei a ela palavras para que jamais esqueça
Que o que sinto por ela é protegido por uma impenetrável cerca,
Que ultrapassa toda e qualquer fronteira.

Amanhã prometo estar na  cama dela quando ela acordar
Ao abrir os olhos eu irei  beija-la
E em seus ouvidos irei confessar tudo o que ela quiser escutar
Se acordar com frio, irei abraça-la
E nas horas difíceis não irei abandona-la, seu acompanhante
Quando ela estiver entediada, inventarei algo interessante,
Apenas para vê-la sorridente como antes
Se for preciso eu serei aquela pessoa irritante
E quando ela se sentir perdida, tornar-me-ei um navegante.

Eu estava pretendendo escrever uma carta
Descrevendo os momentos que passei com minha princesa encantada
Estava apenas com a preocupação,
Queria presenteá-la com uma obra de pura perfeição,
Mas cada palavra que surgia não era totalmente clara
Não estava conseguindo dizer tudo aquilo que me engasgava
Em seguida pensei em fazer uma serenata,
Mas a melodia não se apresentava da forma desejada
E ao lê-la, eu notei aquela certa falta
E espero que ao vê-la, ela também a sinta.

Se eu fosse dono do tempo, eu estaria eternizando nossos momentos
Mas como sou apenas um estrangeiro neste mundo,
Posso apenas pedir a ela alguns de seus segundos
Mesmo que haja pessoas entre nós construindo muros,
Os destruirei e alcançarei meu conforto naqueles braços
Pois não há lamina afiada capaz de cortar este meu laço,
O que sinto por aquela pessoa é forte, de fato
E com ela eu não escondo meus mais secretor pecados,
E sei das imperfeições dela, sei de seus antigos atos
Mas o que importa é o hoje, o amanhã e o depois
Quero passar esses meus dias com este sentimento que me deixa nervoso,
Aquele que se enlouqueça ao saber que se aproxima o nosso encontro
Eu a amo, e ela me ama também
Eu me apaixonei, e o que sinto é reciproco por alguém.

Só espero que esta folha chegue naquelas mãos
Espero que consiga a compreensão daquele coração
E que no alvorecer, eu a consiga ver
Que na próxima vinda do Cometa Hale,
Nós o vejamos pelas janelas de nossa pequena casa da felicidade.

segunda-feira, 10 de julho de 2017

Logo Cedo

Logo pela matina o ônibus já está com sua correria
Lá pelas quatro ele passa coletando almas perdidas
Pela janela embaçada eu vejo a cidade apagada,
Caio em admiração perante a noite estrelada
Até os pássaros estão dormindo, não escuto nada
E o frio me abraça com suas mãos geladas
Mesmo o moletom da marca mais cara não escaparia da ventania
E minhas palmas clarearam, rígidas se tornaram
Meus lábios secaram, as bochechas congelaram
Até mesmo meus ossos se enferrujaram,
"Dai-nos calor", eles me suplicarão.

Passando por entre as rodovias eu encontro luzes
A estrada se deleita delas, e que assim continue
Um pouco longe dali vemos catadióptricos a surgir
E, dentre tantas faces sonolentas,
Há aquelas que foram levadas pela correnteza,
Que lentamente se renderam ao Pestana e sua delicadeza
Outras tomaram um café forte e suas colunas estão em porte
Aquele dorminhoco do Sol ainda não apareceu,
Quando preciso do seu raiar, ele tende a me ignorar.

Ruas vazias, praças sem vida, esquinas sem alegria
Neste momento do ponteiro, a comunidade é suspensa
A movimentação nas avenidas ainda está lenta.

E no retorno, contemplarei o nascer do novo dia
E uma voz em meu peito grita
"Viva!".

Astronauta

Que belo lugar este que estou
Jamais poderia imaginar beleza mais rara
Observando paisagens que chegaram e logo se foram
As estrelas são belas, e bem claras
O cenário está totalmente pronto
E o Sol está do outro lado da esfera azulada
Sim, não é plana, isso vos conto
No passado cometemos um pequeno engano
Mas aqui sobre o espaço eu me deleito em demasiado encanto
Testemunho como nossos olhos são como câmeras,
Pois jamais esquecerei o que vi, onde caminhei, onde pisei
Sentindo sensações ambíguas
Gostaria de poder tirar fotos da Oceania,
Ou quem sabe abraçar aquela estrela que de longe brilha
Mas estou com as solas de meus pés, beijando a Lua querida.

Minha amada e grisalha mãe queria visitar o Egito
A buscarei e logo para lá estaremos indo
Meu herói mal-humorado almeja uma praia para o feriado
O mostrarei a Via Láctea, sem precisar pagar pedágio
Apresentarei a ele o nosso mundo encantado,
De uma forma que ele nunca havia pensado
A um novo conceito de imensidão ele será apresentado
Beleza maior do que a escrita em diários apaixonados
E a pureza das nuvens que rodeiam a Terra,
Me fez amar mais ela,
Eis minha vista que tenho aqui de cima, que jamais será esquecida.

sábado, 8 de julho de 2017

A Prometida

Amor, eu senti sua falta
Meu coração pensou que tinhas ido embora,
Então a saudade bateu em minha porta na mesma hora
Amor, senti a ausência do seu toque
Aperte minha campainha para que eu comemore
Estou querendo abraçar a sereia do meu folclore
Amor, se apresse e me mande uma mensagem de voz pelo telefone
Venha logo.

Eu não sei mais quantas foram as vezes que procurei a paz
Estava pensando que não a encontraria jamais
Meu coração estava perdido, não sabia mais o que fazer, onde ir
Por isso ele necessitava de uma nova direção
Alguém para guiá-lo pela imensidão.

Não sabes o quanto me ajudou
Você é a responsável pela felicidade que sinto hoje
Você merece mais do que um buquê de flores
Merece um arco-íris com todas as suas cores
Pena que sou apenas um garoto, que sonha com teu nome
Gostaria de escrever sobre as nuvens o quanto lhe amo
Te fazer feliz está acima de qualquer outro plano
É como se meu coração soubesse que não tinha cometido um engano
Você me fez amar a cidade simples onde moramos,
E em serenatas abaixo de sua janela eu estarei cantando, mesmo sendo péssimo
Quero que guarde em seu peito o quanto o meu bate pelo seu
Não consigo pensar em uma forma de retribuir a harmonia que você me deu
Pensei, e pensei, mas não encontrei
Não me imagino lhe dando um eterno adeus, disso eu sei.

Queria ser alguém importante,
Para, ao lado de seus conhecidos, não me sentir distante
Mas tenho a sua companhia, mais valiosa que o mais belo diamante.

Não tenho como agradecer por me resgatar da solidão
Minha mente estava sendo ocupada pela escuridão
E agora estou me sentindo feliz, como um palhaço transparente
Todos podem ver com exatidão meu rosto sorridente
Devo de mais a ti, da depressão eu havia me tornado dependente
Eu tinha me esquecido da luz do dia, do gosto da alegria
E, mesmo que o amor seja misterioso, eu não estou sendo cauteloso
Estou sendo levado, como um navio na tempestade
E o arrependimento simplesmente não apareceu
Agora possuo uma nova realidade, aquela que você me mostrou.

Eu ainda converso com as paredes
Ainda falo com ela às vezes
Mas agora o assunto é outro
Falamos sobre o nosso último e maravilhoso encontro.

Pensei que debocharia das minhas tentativas de poesias
Pensei que iria gargalhar pelas minhas palavras tímidas
Mas você me provou o contrário,
E logo após ler uma dedicatória, me deu um beijo inusitado
O que senti em meus lábios não me permitiu permanecer desconfiado
Por mais difícil que seja encontrar, finalmente há alguém ao meu lado
Desisti de procurar quando finalmente conheci você perto mar
Na praia de Guarapari eu lhe vi, bela como uma musa da Grécia.

Sentindo suas mãos suaves encostando nas minhas
E lá do alto do morro apreciamos aquela vista
Deus nos assistindo e eu o agradecendo por ter me concedido minha prometida
Por você eu decapitaria uma Medusa por dia,
Eu negaria uma noite de prazer com Afrodite, para passar uma hora com você
O Olimpo seria nossa Lua de Mel
E no topo da Yggdrasil, encontraremos nosso céu.

Crise Existencial?

Gostaria que alguém me ensinasse a amar,
Pois eu já cometi muitos enganos quando tentei me apaixonar
É que o meu coração não aguenta mais se machucar
Será que não existe uma fórmula? Um guia?
Bem que eu gostaria que a resposta estivesse na esquina
Mas se fosse tão simples, não haveria poesia
Às vezes não sei o que há de errado com a minha vida
Me sinto muito deslocado, em um mundo inabitável
Como se eu fosse o único ser restante da espécie de apaixonados
Mas nada, e ninguém, me tira o poder do sonhar,
Imaginar mãos dadas a caminhar para um misterioso lugar,
Sobre as nuvens da criatividade a nadar,
Nada com o que se preocupar, apenas o tum-tum do meu coração a cantar
Sem me mover para nenhum lugar e com sentimentos puros
E meu sonho termina ao nascer do dia e me vejo segurando o travesseiro.

Talvez um poema conquiste uma flor
Mas não sou capaz de compor um, talvez uma carta de amor?
Agora questiono se meu sentimento possui ou não valor
Às vezes olho para a janela e me indago onde estou,
Pois me sinto deslocado, um cavaleiro sem seu fiel cavalo,
Inútil como um Arthur sem um reinado
Apenas existindo, apenas ocupando espaço,
Almejando uma companhia para me sentir motivado
Me fazer sentir, me servir de musa para um porta retrato.

Mas está tão difícil se declarar
Está tão difícil confiar
Que meu coração tem medo de apostar na roleta
Pois o resultado pode ser uma nova tristeza
A sorte está com aqueles que, em meio a esse caos,
Encontrou uma princesa.

Mas talvez o amor não seja o remédio
Talvez o que estou sentindo não seja depressão, e sim tédio
Talvez eu só precise de uma miragem, agradável, neste meu deserto
Não me parece familiar este sentimento perverso,
Que trama a destruição do meu lado singelo,
E que eu descrevo com pequenos e modestos versos
Sãos os minuciosos dos gestos que me tornam único,
Mas nem por isso estou incluso, tornei-me inseguro
Passo o dia me protegendo do mundo,
Feito o bicho-papão se escondendo no escuro
Com medo dos seres sujos, dos falsos e injustos,
Que mutilam aqueles que agem com um sentimento puro.

Passei a ter uma cabeça caixa-preta
Fechada para tudo, até mesmo a direita, ou esquerda
Minha escrita tornou-se mais pesada
Com a mão tremula, eu fantasio em palavras, uma noite estrelada
Apenas para nutrir minha paz atualmente abalada.

Alguém me ensine o que é o amor verdadeiro?
Como sei se é real o que estou vivendo?
Seria a saudade um vestígio concreto do amor certo?

Alguém me diga se sou uma pessoa de verdade
Se o que sinto é normal, que não sou uma atrocidade
Me preocupo se estou fazendo corretamente a minha parte
Não minto quando digo que gosto de alguém,
Mas será que mentir as vezes não me faria bem?
Pois quando digo a sinceridade, logo me expulsão,
Justificando-me que não é por maldade.

Alguém me ensine, estou perdido
Não sei se meu comportamento faz sentindo
Não sei se sou o modelo previsto para este mundo ilícito.

terça-feira, 4 de julho de 2017

Me Enganei?

Preso voluntariamente no quarto o dia inteiro
As semanas passam como os ponteiros
Quando o calendário está presente, eu vejo,
Que este calabouço foi isolado pelo tempo,
E também fui informado pelas paredes que fui ingênuo
Estou sozinho, mesmo que eu tenha feito companhia a outros
Acho que é por isso que me condeno, e vivo no tormento
Pensei em ser o ombro de apoio, e acabei ficando sem consolo.

Talvez ser atencioso não é lá uma boa ideia
Talvez eu deveria ter agido de forma mais gélida
Estou começando a perceber que não há lugar para pessoas honestas
Então provavelmente entrarei em extinção,
Já que não sou uma pessoa esperta.

São nas horas de total silêncio que a reflexão vem
Fazendo eu notar coisas que nunca notei
Como por exemplo a irrelevância de um certo alguém
A quem valorizou mais aos outros que a si mesmo, e acabou não se saindo bem
Acho que se eu meditasse tanto quanto Siddhartha, estaria perdido
Diferente de Buda, sou apenas uma pessoa insegura e imatura
Talvez eu esteja agitando a tempestade,
Talvez eu só precise viver mais em sociedade.

Meu celular eu desliguei, deixei por algumas semanas
Percebi como me enganei, ninguém me procurou, telefonou, ninguém realmente me ama?
E foi durante a janta que um pensamento se gerou
"Ficarei sozinho, assim como aquele pobre velhinho da pracinha ficou"
Fui bobo em acreditar que existia alguém com quem eu pudesse contar
Pensei que meus olhos iriam lacrimejar, mas não choveu
Meu coração simplesmente entendeu
Me entristeci em encarar como sou um peão descartável
Eu acho que pequei em ser educado
Agora estou aqui trancado, sem ninguém sentindo a ausência minha
Ah como sou imprestável.

Sempre busquei ser prestativo
Sempre procurei ser um bom amigo
Mas agora olho o que aconteceu comigo
Mesmo ajudando aqueles indivíduos, fiquei sozinho
E não há nenhuma conversa para me aquecer nesse frio
Não consigo explicar em palavras o que agora sinto
Decepção? Talvez um pouco de solidão com pitadas de ilusão
Fui tolo em crer que quem faz o bem merece ser feliz também
Hoje estou pagando por algo que não fiz
Parece que na verdade eu conheci apenas atores e atrizes
A realidade é que não quis enxergar, não quis acreditar,
E agora me deparo com um preço que injustamente terei que pagar
Talvez com isso seja dado um novo início,
Um para me corrigir, e agir pensando mais em mim, e nenhum outro indivíduo.

Percebo agora como que alguns dos meus textos estão errados
"Irmandade Sem Cores"? Jamais deveria ter sido criado
Mas "A Criatura Falsa" permanece como sendo o texto imutável
Começo a refletir se meu pensamento sempre esteve em um caminho oposto
Talvez esse abandono me sirva como rota de retorno
Deixarei de ter aquele sentimento culposo de quando não consigo animar os outros,
Serei mais impiedoso, cuidadoso,
Cuidarei apenas de mim e de meu orgulho.

Veja só, caderno, como não fui esperto,
Acreditando que quanto mais alegrasse, mais amigos eu teria por perto
Mas só vejo aqui as paredes de concreto,
Com um sentimento incompleto, e um machucado interno
Não irei cortar meus pulsos,
Mas agora meu coração se sente expulso
Então agora a solidão e o egoísmo caminharam juntos neste inverno
E em meu peito estará um arrependimento eterno
As pessoas que disseram ser amigas, elas foram minha ruína
Mas ainda creio que encontrei alguém real,
Quem sabe algum dia?

sábado, 1 de julho de 2017

Rua da Saudade

Sempre evitei passar por aquele lugar
Quando se torna impossível, atravesso por lá
E meus olhos não se aguentam, e me fazem chorar,
Pois eles reconhecem quando ela vinha me abraçar
Meu coração ainda guarda esta lembrança
Aquela passagem passou a ter uma importância
Cada pedra tornou-se pontiaguda, feito uma flecha
Desferindo cortes em meus sentimentos,
Que sangram com muita pressa.

Quando me encontro lá, abaixo minha cabeça,
Para esconder minha total tristeza
Pois as casas que há lá, me fazem lembrar dela
E hoje me vejo aqui, sem ela
Meus amigos agora chamam aquela rua como a da Jéssica
Lágrimas despencam ao reconhecerem aqueles telhados,
Daquele chão tão pouco asfaltado
E meu coração fragilizado, tentando fechar aquele buraco.

Me é tirado as forças quando estou de frente a ela hoje
Dizia para mim que morria de medo de ir no cemitério à noite,
Mas agora estou aqui, lhe dando essas flores
Ajoelhado, sendo torturado pelos momentos que ela me trouxe
Mas que também me levou a vivenciar a felicidade,
Que agora causa-me extrema saudade
Minha vida terminou quando escutei tal fatalidade,
Que perfurou meu peito com tamanha ferocidade,
Que destruiu o mundo que ela construiu, em alta velocidade.

Não me lembro quantos foram os dias que me isolei
Me desconectei de tudo, como se fosse o fim do mundo
Tentei, em vão, criar um muro,
Mas sempre era atacado,
Pela imagem dela com os olhos eternamente fechados.

Resistir nos tempos que se passaram
Jamais jogarei as fotos do nosso passado, que guardei
Os sorrisos dela, em meus pensamentos sempre estarão
Mas as lembranças foram as únicas que sobraram
Que Deus conte a ela o quanto eu chorei,
O quanto desejei o retorno dela,
Que almejei que tudo fosse apenas um engano
Que tudo não se passava de um péssimo sonho
Mas sem ela estou a alguns anos.

Eu não poderia passar o resto da minha vida me mutilando
Aquelas paredes de memórias estavam me sufocando
Não estava mais me aguentando,
Então acabei destrancando a porta do meu sofrimento
Ainda o sinto, mas acabei me juntando com o passar do tempo,
E hoje estou em um novo relacionamento, me recuperando
Mas me sinto em uma reabilitação, para alguém cuidar do meu coração
Ela nunca sairá da minha mente, é algo bem maior, que poucos sentem
Não haverei de encontrar uma substituta, é impossível, ela era única
Só quero que no final, eu sorria, mesmo que a vida tenha se tornado curta.

Decidi criar, naquele lugar, algo que fosse se eternizar
Com alguns tijolos eu construí uma pequena casinha
Que, de lá de cima, ela soubesse o quanto era querida
Dentro há uma foto da família com ela, e outra minha, dando um beijo nela
Logo só tive que esperar o secar do cimento que a fará durar.

Hoje estou olhando o lugarzinho que um dia eu fiz
Hoje eu me sentei ali, sozinho, e me senti feliz
Sei que não foi justo Deus a tirar de mim
Mas, mesmo assim, a tristeza jamais me fará esquecer,
De tudo o que senti, vivi e aprendi
Me espere, Jéssica, e me receba quando eu partir.

sexta-feira, 30 de junho de 2017

Falsidade Imortal

Não há como não odiar
Não há como reconsiderar
Não há como relevar
A falsidade se alastra pelo ar
Pessoas que dizem se importar, e depois somem
Eu não consigo entende-las, qual o objetivo?
Há aqueles que dizem para eu não me concentrar nisso
Mas minha mente não consegue encontrar um sentido
Escolho o silêncio ao invés de dizer algo incerto
Jamais entenderei elas, já digo
Elas só existem para incomodar, feitos os espinhos
As verdadeiras as vezes são pegas por elas
Acho que existem para atrapalhar o progresso das corretas
Me entristece saber que elas vivem em geleiras,
Onde a mentira age de forma intensa.

Ontem procurei uma justificativa,
Infelizmente só encontrei o que não queria
Mais mentiras foram concebidas, e fiquei sem ação
Entrei em um estado de pura reflexão,
Pensando se tinha um fato que pudesse ser relativo,
Que desse para ser aceito, ser entendido
Mas o que consegui foi um cubo mágico
Onde as cores foram substituídas por retratos,
Daqueles que me usaram feito um simples receptáculo,
Que, popularmente, posso me intitular como sendo um "otário".

Deixei de acreditar nesta lenda
Hoje aqui em casa só o vento entra
Pela quantidade que escutei, de amigos eu deveria ter centenas
Mas todos acabaram sendo notas de três reais
Ainda diziam que minha paz era proposta por tais.

Eu já cometi o erro de confiar em pessoas,
Aquelas que aparentavam serem boas
Mas no final, em minhas costas cravam um punhal
Não deveria ter confiado em palavras
Deveria ter notado aquelas pistas claras
Mas fui inocente, ingênuo, e segui em um desconhecido terreno
Infelizmente hoje não consigo mais confiar,
Hoje meus olhos já secaram, me lembrando do tempo que me pus a chorar
As frases mais violentas, "Não te deixarei sozinho, conte comigo"
Nesta armadilha eu caí, e me feri.

Há pessoas que levei anos para perceber que foram enganos
Há também aquelas que não passavam de apenas simples encontros
Sim, hoje estou a sós em meu canto,
Mas ao menos não tenho um Judas se esgueirando
Não haverei de ter um Cain para me enganar e apunhalar
Hoje eu vejo que em meu quarto há apenas uma sombra móvel
Mas estou longe do falso, do desamor ao próximo
Não engano as minhas paredes, elas me conhecem
Dos céus eu receberei um milagre em resposta as minhas preces
Não ser enganado é quase uma missão impossível,
Pois até aqueles que depois de anos, hoje estão se revelando
Acho que a falsidade se tornou um vício na sociedade.

Me doía o sentimento oco de abandono,
Mas o meu afastamento eu mesmo estava causando
Pois consegui identificar quem estava desvirtuando
A falsidade é imortal, a falsidade é mortal
E eu escrevo aqui apenas umas duas folhas de reflexão
Pois meus pensamentos estão lotados sobre este assunto,
Então agora irei terminar com essa minha opinião
A Falsidade me é atraída feito ímã.

Pequena Roça

Sobre o sol um calor sem igual
Acima da estrada de terra, sobre o céu o grande farol
Os carros de bois seguem com uma trilha sonora
Os garotos estão ali, dando banho as hortas
O homem batalhando para o crescer de sua pequena roça
Reparando os portões de ferro enferrujados, com sua antiga solda
Sua esposa torna-se companheira de dança da enxada
E lá de longe pode ser ouvido a serenata da cigarra
Os vaga-lumes brilham nas noites mais claras.

O suor desce como lágrimas do Nordeste
E os corpos respiram com aquelas brisas leves
O campo rural floresce, e a santa Mãe as vozes agradecem
E aqueles humildes portões prevalecem
O tempo machuca os pais daquela terra,
E os filhos então tornam-se herdeiros dela.

Em meio ao trabalho árduo, um prestígio
Lá naquela casinha de madeira encontra-se um abrigo
Um lugarzinho quentinho, para fugir do frio
A pequena roça muitas vezes passa por momentos terríveis
O homem, com um palito em sua boca, sabe dos perigos
E na mata espreita animais que se tornam inimigos.

Viver sobre o solo arranhado não é difícil, disse um dos filhos
Difícil é racionalizar a força ao segurar o garfo
Pois o corpo se torna mecanizado, acostumado com o trabalho pesado
Ele acordou junto ao cacarejo do galo,
E fechou os olhos ao nascer da noite, com os dedos calejados
A vida no campo possui seus pontos altos e baixos
Seus pontos fortes e fracos,
Mas aquela família sempre estará pronta para o trabalho.

quinta-feira, 29 de junho de 2017

Serenata Escrita

Mandarei por meio de uma carta centenas de beijos
Oh quanto almejo descansar por entre seus seios
Feito um gênio, prometo realizar um desejo
Irei te presentear com um espelho, para deslumbrar o que vejo
Seu lindo sorriso, e seu doce beijo
Minha amada, a Lua me disse que somos o casal perfeito
Disse que nosso amor é forte como um nó de escoteiro
Que nossos corações não nasceram para serem solteiros
Não sabes o quanto te quero, que sentimento estrangeiro
Ele aparece de repente, e some quando você está aqui
E ele nunca pensou em se despedir,
Pois sem você, ele jamais poderia se quer existir.

Minha dama, minha linda Monalisa
Sua simplicidade fará parte de mim por toda minha vida
Sua pintura será a mais exibida, atravessará colinas
Todos saberão como sou sortudo,
Todos saberão quem representa meu mundo
Desculpe por não ser um artista feito da Vinci, sinto muito
Mas vamos propor um brinde ao nosso amor invencível?
Ah como eu gostaria de estar aí contigo, o que está fazendo?
Estou pensando em você, carência? Eu realmente não sei
Te amar é um sonho que estou vivendo
Desculpe essas declarações demasiada românticas,
Mas está difícil controlar essa mente que te amada
Ignore-a, aja como quiser
Mas não posso negar que é você que meu coração quer.

Para mim só há você, meu calendário está zerado
Meus lábios lhe confessam o quanto estou apaixonado
Sem ti o mundo é totalmente quadrado
Seu perfume é afrodisíaco, sua boca é meu vício
Meu presente é real, está vivo
Você causou um dilúvio em meu coração,
E aquele número de celular tornou tudo
Hoje escuto somente a sua voz, para os demais me tornei um surdo
Estou dizendo a verdade, seria você a tal "cara metade"?

Nem mesmo com palavras eu consigo lhe conquistar
Uma chance, peço apenas uma chance para tentar te agradar
Tenho medo que eu só vá amar você, e mais ninguém
Estava tentando esconder meu temor,
Você não é simplesmente "alguém", não sabes como quero teu bem
Notei que quando estou contigo, me sinto zen.

Poetas lhe dariam poemas belos
Eu só consigo lhe presentear com sentimentos honestos
Espero que aceite estes meus simples versos
No seu aniversário te presentearei com um humilde caderno,
No qual eu guardo meus textos ingênuos
Oh meu amor, estou à espera de nosso encontro
Quero lhe contar sobre a noite passada, sobre o meu sonho
Não aguento a espera, que lhe falar, pegue o telefone
Nossos momentos juntos são os melhores do meu ano
E mesmo sem ter as belas asas brancas, acho que você é um anjo,
Que em minha vida, Deus acabou te colocando.

Não há valor para o quanto te amo, e não te engano
Nunca menti para ti, nunca escondi o que sentimento
Eu jamais omiti os erros que cometi, sempre os assumi
Não te escondo nada, sou um livro aberto, podes me ler
Hoje quero escrever um abc,
Mostrando as maravilhas que sonho com você,
E espero que no final consigas entender o "por quê"
"I Love You" estará escrito no verso da carta
Aqui se encontra o sentimento vindo diretamente da minha alma
Uma paixão platinada.

Carta De Um Mineiro

Que dor imensurável penetra em meu peito
Parece que meu corpo está com defeito
Minhas mãos calejadas pelo trabalho o dia inteiro
Hoje me vejo frágil que não aguento meu próprio peso
Estou me tornando mais amigo do tempo
Ele me contou que a dor que sinto é apenas no momento,
Que logo, logo, estarei bem, e continuarei vivendo
Mas pobre de minha visão, sem meus óculos perco-me na escuridão
Os anos em meus ombros estão pesando
Como o ditado logo diz, " a idade acaba nos alcançando"
Agora é bem mais fácil, pois caminho cambaleando
Meus joelhos hoje estão doendo,
Mas ontem eu podia jurar que estava correndo.

Sinto meus ossos colidindo entre si, gritando
Me implorando um alívio, estão se enferrujando
As dores estão se consolidando, e lentamente me matando
Mal consigo me levantar da cadeira de balanço
Com um andado hoje desequilibrado,
Move-se o corpo desgastado pelo tempo,
Que logo será descartado, e ao solo será plantado
E de lá brotará uma linda e vivida flor,
Assim como eu fui um dia, forte, vivo, sem medo algum
Mas como sempre foi, o tempo me alcançou,
E me tornou frágil, com medo de sair do meu pequeno iglu
Mas permanece em minha mente os momentos mágicos,
Que serão sepultados juntamente a esse velhinho simpático
Partirei um pouco mais sábio.

Entristeço por meus pés nunca terem sentido as areias da praia
Minha pele nunca sentiu aquelas águas
Pudera eu ter vivido uma vida agitada,
Como dos jovens que viajam na Páscoa
Mas não me irei triste, pois o que vivi me trouxe o que de melhor existe
Infelizmente não verei os meninos de meus meninos, adultos
Porém, nos braços de meus rapazes poderei em fim repousar
E sei que eles iram me abraçar, e não há nada mais que eu possa desejar
Saberei que deixei este mundo com aquele calor,
E mesmo que eles se ponham a chorar, saberei que são lágrimas de amor
Só posso pedir a Deus que, quando eu me for, que tome conta de meus garotos, por favor.

Estou a caminho de me encontrar com a minha querida esposa,
Que conheceu o paraíso antes, e que por mim agora olha
E logo não verei mais na janela aquelas pipas, e as risadas da rua
Algumas vezes sinto que a vida é muito curta
Mas pelo menos lá no céu, minhas alianças estarão novamente juntas.

terça-feira, 27 de junho de 2017

Distante Do Novo Mundo

Apesar de ser um antissocial,
Escolho ter uma conversa social a uma virtual
Acho que parei no tempo, quando tudo era mais normal
Talvez uma carta ou uma comunicação não tão formal
Pois temo a extinção da linguagem verbal
Ou talvez para mim não seja o habitual, não sei
Seria eu uma criatura perdida? Talvez
Sigo com múltiplas dúvidas de uma só vez.

Não me dei bem com as atuais redes
Pois acho que me tornaria mais um prisioneiro,
Apenas mais um dentre eles
Custei a me familiarizar com o tal do e-mail
E agora surgiram vários outros meios
Estou naufragado, por não possuir interesse neles
Não creio que essa comunicação excessiva irá nos aproximar
Na verdade, eu acredito que estamos a nos afastar
A falta de uma comunicação frontal tomou conta do nosso lar
Logo nós nos esqueceremos de como se falar
E se o mundo se desligar ficaremos totalmente mudos
Desta nova comunidade emergente, tornei-me um cego surdo
Distante e tão próximo deste novo tipo de gente.

Nos tornamos escravos,
E a vontade de compartilharmos tudo tornou-se nosso fardo
O capitalismo na tecnologia hoje está focado
Fomos recompensados, mas ao mesmo tempo fomos alterados
Daquela sociedade tradicional fomos totalmente desvinculados.

Quem me dera ser sortudo em ler uma carta
Ou quem sabe receber uma poesia mal desenhada
Hoje talvez eu receba um convite para uma noite badalada
Me sinto como se eu não fizesse parte desta nova e moderna caminhada
É claro que tiro um certo proveito, mas um tanto sem jeito
Me sinto como um cata-vento sem nenhum vento,
Parado, à beira do esquecimento, ultrapassado pelo tempo
Penso se haverá um momento de real convívio,
Ou se prosseguiremos para um mundo regado a artifícios
Não escutaremos mais aquele cumprimento, "Seja bem-vindo"
Tenho medo que esta nova era tecnológica acabe com isso.

Mas talvez seja só uma mente tradicional falando
Talvez eu devesse estar me enturmando,
Ao invés de estar delirando e palavras sem sentido jogando
Posso estar com inveja da ansiedade de bate-papo dessa época
Talvez me deixar levar seja a escolha mais que certa,
Mesmo que eu não possua total certeza de tal
Pois uma vez me deparei com algo surreal,
Um simples e aparentemente romântico casal,
Estavam conversando entre si, mas sem contato visual
Talvez hoje isso seja normal, mas para mim é irracional, sem igual.

Neste novo mundo, sou um lobo solitário
Escondendo-me feito as últimas palavras do dicionário
Transformando reles pensamentos em um diário.

Dono Do Tempo

Pudera eu ser o dono do tempo
Pudera eu voltar ao passado,
E reviver belos momentos
Admirar outrora o céu estrelado
Mas pudera nós sermos capazes desta façanha
Tornarmos viajantes, como o vento
Ou que fôssemos presenteados com o justo julgamento
E decidir qual das orquídeas me amam
De sermos ouvintes fieis dos anjos.

Ai de mim se pudesse fazer tudo diferente
Afinal o ser humano erra sucessivamente
Meus acertos tornam-se menos aparentes, porém meus erros são consistentes
Quem me dera ser perfeito, mas ninguém é, eu seria o primeiro?
Iria prever os minutos reservados para o meu futuro?
Teria consciência da irrelevância das mentes controladas?
Saberia o dia em que as mentes criativas seriam testadas?
Haveriam sequelas geradas pela terceira grande guerra?

Oh tempo, sois de ti teu humilde servo
Nada significo, identifico-me como um grão no deserto
Façais de mim teu grão de areia predileto
Quantas foram as mentes revolucionárias que tu devoraste?
Diga-me, ganharei um troféu se conseguir tocar os céus?
Mate minha solidão, e não acusarei-te como sendo o réu
Adocica minha vida, feito um favo de mel
Que meus sentimentos e versos sejam mais fortes que Babel.

Tempo, seria ele um inimigo desprezível?
Tal como aquele mau elemento incorrigível?
Detesta-me, tempo? Possuis algo de ruim contra mim?
Por que quem amo sempre corre de braços abertos para ti?
Oh tempo, expulsai esse sentimento depressivo que em meu coração vive
Oh tempo, dai-me mais segundos daqueles doces relacionamentos
Faças de mim um aprendiz, serei o ouvinte e escutarei tudo que diz
Quero ser capaz de aproveitar os minutos que me dás
Não desejo mais ser eterno, apenas da felicidade um adepto
Pois sei que tu passas rápido, veloz, ágil
Sei bem que sou apenas um ser humano frágil
Mas quero ser capaz de amar, chorar,
Pois não há necessidade de dizer-me que a vida é apenas um estágio
Me contento em viver somente com o necessário,
Um abrigo, um amor e um verdadeiro amigo.

Quem poderia almejar algo mais importante?
Não há de existir algo mais interessante e instigante
Não é de meu conhecimento algo mais valioso
Que ser deste grande mundo seria tão ganancioso?
Quero apenas alguém para compartilhar meu coração carinhoso
Aquele desejo tão antigo, de possuir um colo quentinho para repousar um pouquinho
Que a minha solidão inimiga torne-se uma simples lembrança
Como aquelas que esquecemos quando éramos crianças.

Oh tempo, dai-me mais de seu tempo
Oh tempo, sou daqueles que alegam que não há tempo
Oh tempo, passe um pouco mais devagar, para que eu sinta o vento.

domingo, 25 de junho de 2017

Os Passarinhos

Os passarinhos estão acordando
Vejo lá de longe o horizonte me chamando
O relógio está cansado, passou a madrugada acordado
O sopro frio se vincula ao céu limpo
Com a mão esquerda, tento tampar a claridade feito uma peneira
O Sol é tão belo na manhã de domingo,
Que prende a minha atenção, preenche toda a minha visão.

Os passarinhos agora estão cantando
Um deles está ao pé de minha janela, me encantando
Alpiste eu jogo como forma de agradecimento
Ah, não há nada mais maravilhoso que este momento
Ser feliz, dormir feliz, acordar feliz
Não há anda de errado em sorrir sozinho
Não há nada de errado em ficar assim
Se isto me torna um louco? Acho que sim.

Os passarinhos agora estão voando
Lá do alto das nuvens eles devem estar pensando
"Como é bom ser livre e voar para os quatro cantos"
Deveras, por que devo continuar chorando? Sou livre também
Quero voar também, junto com alguém
Essas criaturas das alturas me entendem muito bem
Ao caminhar em minhas ruas de pedras, irei flutuar
E pela escrita mal desenvolvida me deixarei levar.

Vejo lá de longe os passarinhos retornando para o lar.

Para Meu Pai

Quando meu pai soube que eu estava chegando, se desesperou
Ele estava desempregado, e isto o preocupou
Minha mãe não o atormentou, não o pressionou
Foi-se ele mundo a fora, analfabeto, a procura de uma resposta
Já estava um tanto quanto velho, cinquenta e alguns anos,
Com muitos problemas, e com um filho ainda não nascido.

Meu pai começou a trabalhar desde cedo, na infância
Guiando gado, servente de pedreiro, cuidava dos cavalos no celeiro
E por conta disso, hoje reclama das dores no joelho
E mesmo assim, continua fazendo as coisas do seu jeito.

Ele nunca teve condições de me presentear com luxos
Mas ele me deu algo bem mais valioso e agradeço-o muito
Pois quando algo dá errado, eu invento um jeito novo
Ele me ensinou a ser um Geppetto, um criador
Sim, sou pobre, mas graças ao esforço da vida dele, não sou sofredor
Não consigo imaginar como fora difícil
Um dia ele me levou para onde ele foi concebido,
Uma pequena casinha, talvez dois quartos, sem cozinha
E pensar que agora onde eu durmo, há espaço para uma piscina
Eu tenho muito orgulho da minha família,
Tento evitar pensar o que será de mim sem os xingos da rotina
Hoje ele está com setenta e três anos, e amanhã é mais um dia
Ainda sou um pupilo, mas na época dele, na minha idade ele já era decidido
Agora são quatro da manhã, e ele está dormindo
Ei, pai, peça para que minha mãe leia essa dedicatória,
Feita pelo seu filho no dia 25.

Não consigo imaginar como você ficou após a partida da minha irmã
Sua primogênita partiu sem um adeus, e você chorando logo pela manhã
Partiu também o seu coração, e de minha mãe.

Desde o início eu pensava que o decepcionava
Eu evitava tudo o que você gostava
Futebol, pipa, ou da força imposta contra a enxada
Mas por conta de sua influência, me acostumei ao sertanejo raiz
Eu sabia as músicas do início ao fim
E assim eu as guardei dentro de mim.

Quem me dera fazer-lhe uma poesia
Quem me dera ter o dom, só consigo algumas rimas
Assim como você, eu sou um analfabeto da escrita.

Me entristece saber que não conhecerás minha futura família
Mas prometo-te pai, que por meio de fotos, te apresentarei para minha filha
Afinal o que sobram são fotos cheias de memórias
Ainda sou uma simples e inexperiente criança, não sei de nada,
Estou em fase de aprendizado, aos seus ensinamentos e cuidados
Mas prometo-te pai, que com o tempo me tornarei sábio como o senhor
Obrigado por todo o amor, e sei que sou encrenqueiro
Mas qual criança não seria, tendo uma família como a minha?
Pudera eu lhe dar tudo que tens direito.

Agradeço-te, pai, espero tornar-me um homem capaz, como tu
Que o frio da matina me fortaleça e me torne alguém um dia.

Moreninha

Uma morena com belas curvas
Complicada feito raiz quadrada
Mas eu lhe daria a Lua
Espero que deixe eu atracar em sua praia
Se te amo? Não me resta dúvidas
Quero que esse meu sentimento nunca saia
Frases de amor eu tenho múltiplas
Mas quero que você peça para eu falá-las
Se assim for, saciarei suas súplicas
Estou louco para acariciar suas lindas asas
Prometo que minhas palavras não serão únicas
Convidar-te-ei para me visitar em minha casa
Tornarás testemunha e serás tratada como dama.

Como estou? Aqui, mil saudades de ti
Feito um cãozinho, espero você surgir,
Para dizer que fui um bom menino,
Que logo te terei, para meu bel-prazer
Ei? Estou esperando por você.

O que sinto por você, indiazinha, é inexplicável
Seus olhos são de cores formidáveis
E sei que o que meu corpo sente não é por acaso
Por ti estou realmente ligado, de fato
Façamos um acordo, eu lhe dou o céu,
E você me paga com um beijo apaixonado
Ei? Estou esperando você aqui ao meu lado.

Sempre quando te vejo, cresce meu desejo
Sempre me derreto quando sinto seu beijo
Quando você me provoca daquele seu jeito,
Eu sinto como se fosse desmaiar, ah como sabes me amar
Às vezes me emociono, pois pareço não ter nada para lhe dar,
Só possuo meu carinho, meu amor, e se quiser eu vos dou
Às vezes peço-te desculpas por não ser dono do dinheiro, do pote de ouro
Mas me contento em formar, junto a ti, o ninho perfeito
Muitos querem a flor mais bela apenas para exibição,
Porém, em humilde opinião, o mais belo é teu coração,
Pois quando a velhice chegar, ainda irei me apaixonar,
Pois aquele mesmo coração que conheci ainda estará lá.

Você é como a praia mais bela de Noronha
Quem te carregou para o mundo fora uma cegonha
Você é a pessoa com quem a Lua sempre sonha
Com aquele sorriso lindo que sempre me desmonta,
Junto as maravilhosas covinhas nascidas em sua pele sedosa
Sem mencionar sua força de vontade, como Olga
E disse que eu te faço feliz em seus dias de folga
Parece até que seu perfume natural tenta me puxar, feito uma corda
Agradeço-te de coração por ter aceito aquela minha antiga proposta
Já me imagino em nosso próximo encontro
E que a cada ano, irei surrar ao pé de teu ouvido
"Te amo".

Boa Sorte

Eu não importo se você está triste
Não me importo se está infeliz
Você não merece o carinho vindo de mim
Você me abandonou no momento mais difícil
Me deixou sozinho, em sua rosa tinha apenas espinhos
Não pensou em como isso acabaria comigo?
Eu não tive ninguém para repreender minhas lágrimas,
Não houve ninguém para me mostrar terras mágicas.

Não irei te procurar, mesmo se estiveres a chorar
Incontáveis foram as vezes que sonhei contigo e fiquei a te desejar
Se a caneta não me ajudasse, jamais conseguiria te superar
Estaria perdido, feito um joão-de-barro sem um lar
Deixei de lado o que eu gostava só para lhe agradar
Eu te amava, naquele sentimento eu estava pronto para me afogar
Mas você foi alienada com uma ideia desleixada,
Acreditou em uma mentira, eu nunca tentaria te magoar
E hoje eu enxergo em você um erro pessoal
Pois o que eu sentia ao te olhar era algo real, profundo
Mas agora que as cortinas fecharam e o espetáculo acabou, vejo como fui burro
Percebo que você nunca me amou, o que sentia era algo parcial.

Ao passar do tempo, através dos lamentos,
O que meu coração pensava de você se desintegrou
Hoje sei que feliz como estou você nunca me deixou
Estou com meus amigos verdadeiros,
Não com aqueles que você me apresentou, e saio com eles
Estou apenas a procura de uma noite vulgar
Aprendi que com os erros, a vida não se torna curta.

Não existe respeito para alguém que não se valoriza
Diga como posso respeitar alguém que vai aos bailes e fica despida?
Longe de mim criticar seus gostos, mas não tem como
Ah quem me diga que você não possui rosto, e sim uma cara
Que você não merece companhia como a minha, que é uma "vaca"
Essa rima não é para você se sentir atacada, mas reflita suas noitadas
Hoje em dia eu sinto falta daqueles sertanejos antigos,
Aqueles que meu pai escutava e eu adorava
E agora o mundo está agindo diferente comigo
Lamento, mas não posso continuar contigo sabendo que, para você, não existo
Talvez só queira uma relação fixa para apresentar a seus pais e irmãos
Quem busco não é você, sinto muito
Sem lhe julgar, mas após dois dias, já haverá me esquecido
Então não existe motivos para insistirmos nisso
Bom, a partir de hoje eu me viro, sem te possuir em meus sonhos ilícitos.

Curta essas suas aventuras, encontre sua pessoa ideal
Eu? Estarei escrevendo as maneiras de fugir do mundo atual
Este mundo surreal, irracional, sem sentindo musical
Onde duas letras repetidas formam sucessos sobrenaturais
O meu gosto em discos de vinis jaz
Seguir as tendências simplesmente não dá mais
Por isso não iríamos muito longe, não nós dois
Não haveríamos a certeza que seria bom o que viria depois
Até mais, boa sorte
Boa noite, não me ligue depois dessa nossa conversa de hoje.

quinta-feira, 22 de junho de 2017

Navio Do Asfalto

Sombras indo e vindo
Calçados refletidos pelos vidros
Sorrisos e brincos, moletons contra o frio
Os quebra-molas que sempre são percebidos
Os raios do sol que desenham os cílios
Em um navio de metal,
Transportando os marujos até a capital,
Que desembarcam no ponto final.

Crianças no colo dos pais,
Que lembranças isso me traz
O navio possui o seu próprio conforto
O capitão está a caminho do porto
As ondas de concreto causam sono
As paisagens são expostas em cada canto
Normalmente os marujos não possuem um canto,
O silêncio as vezes é constante.

Ah dia que o tempo não passa
Outros, ele simplesmente me ultrapassa
Alguns eu mal adormeço e já chego em casa
Parece até que viajei dentro de uma espaçonave
E quando desço, me sinto pesado, e não leve
Posso levar para casa novas pessoas que conheci
Dentro deste navio também posso interagir.

Meio do Ano

Ninguém para me fazer bem
Aquela alegria que eu tinha estou ficando sem
Estou perdendo o ânimo, de harmonia sinto fome
Todas as minhas tentativas estão sendo em vão
Talvez esteja até perdendo ar em meus pulmões
Será que resistirei até o fim do verão?
Estou cansado, passo noites em claro
Talvez eu não deveria ter me afastado,
Ou quem sabe, me sobrecarreguei, exagerei
Só sei que só quero me deitar, e meus ossos descansar.

Meu mundo está desabando
Minha fantasia está se dissipando
Em versos estou me refugiando
Sinto como se eu estivesse me afundando
Ganhei a incerteza de talvez não ser capaz de vencer
Meu pensamento está a ponto de se perder
Meus ossos estão doloridos e frágeis
Meus olhos estão serrilhados e cansados
Estou vivendo um mau presságio
A esperança se tornou apenas uma palavra no dicionário.

Tentativas e mais tentativas
Trilhas apagadas, e não mais escritas
Busco apenas uma humilde companhia,
Para alegrar as cores em tons de cinzas da minha vida.

Não possuo lágrimas suficientes para me expressar
Não possuo lágrimas suficientes para chorar
Tudo que faço é ficar imóvel e pensar
Parece até que o meu cérebro está com dificuldades para trabalhar
Posso estar enlouquecendo com o silêncio que estou vivendo
Posso permanecer ausente por semanas,
Não sentirão falta nem mesmo da minha sombra
Que belo exemplo de drama
Sinto-me na ponta de um prédio em chamas
Transformei-me naquela dama clamando por salvação
Melhor dizendo, um infeliz em uma prisão,
Que possuí vários nomes, mas a chamo de solidão
Pareço estar ,a uma eternidade, distante da sociedade
"Muito obrigado" e " Boa tarde" ainda são utilizados?
O romantismo sei que fora exterminado,
Por conta disso, não sei se darei conta do recado
Pois o meu coração é feito Aladdin,
À procura de uma mulher preciosa como a Jasmine
Mas talvez eu seja deveras ganancioso
Talvez eu esteja querendo muito, e vivendo pouco.

Palavras sem uso eu busco
Ampliar meu conhecimento sobre o céu noturno
Formando vários conjuntos de pensamentos confusos
Tentando desvendá-los, como o Código da Vinci
Ao som de uma bela sinfonia para me deixar tranquilo
Montando no ar, rimas, para depois as justificar
E, ao invés de um ponto final, escolho uma vírgula,
Para continuar aprendendo a como se criar uma poesia.

Morrerei sem entender o significado do termo "amizade"
Há aqueles que se apelidaram com essa palavra, mas não é verdade
Todos que disseram isso estavam só de passagem
E agora me restou encarar a falsidade,
Que tudo que me fora dito era apenas uma miragem
Ainda estou perdido no deserto do Saara.

domingo, 18 de junho de 2017

Martírio

Estou desconectado do mundo digital
Ultimamente tenho ficado ligado com o mundo real
Encarando problemas, alterando os horários
Durmo quando o galo cacareja, um som programado
Insônia é para os fracos, estou mais para um zumbi encarcerado
Só me falta escrever sobre as paredes do meu quarto
Mas vejo um bom lado em estar tão apressado,
Deixei aquele amor incompleto, no passado
Agora enfrento os problemas do novo tempo
Após vários erros, mudei a maneira que penso
Mas ainda serei um palhaço até o fim, eterno feito o Antigo Testamento
Quando a velhice me alcançar, quero rir de tudo que eu já disse
Não quero me tornar um ser reprimido, com olhos de vidro
Quero ser um velhinho feliz, saltitante, quero sim.

Vejo por aí muitos criticando por eu ser assim
Alguns falam que sou homo, que eu deveria assumir e pronto
Não me zango, mas também não entro em pânico,
Pois acredito que, este mundo é um grande jogo
Há os bons, e os maus jogadores, sem qualquer humor
Mesmo que eu perca, saberei que sorri bastante, e isso que é importante
"Ah, mas sorrir não vai te levar adiante"
"Sorrir não é relevante, se importe apenas em construir um futuro brilhante"
Então estou tendo alucinações constantes,
Pois acredito que rir é, e sempre será, fundamental
Continuem me tratando e falando mal
Mas no final, eu ainda serei um palhaço sem igual.

Eu permaneço sozinho em meu circo
Ninguém para visitá-lo e falar comigo
Mas por sorte, no mês de junho eu me encontro distraído
E, mesmo que eu não ligue para os problemas,
Eles me telefonam e me causam enxaquecas
O meu calmante é me tornar um simples viajante
Talvez o que eu necessito seja um bom informante,
Para descobrir a melhor maneira de escapar desse inferno de Dante
O convívio com a depressão se tornou totalmente estressante
Escutei que talvez eu precise "arrumar" uma nova acompanhante.

Não sei bem o que está acontecendo
Não sei bem o que estou fazendo
Me distancio cada dia mais, e me perco, sem momento
Talvez eu não esteja nem mesmo vivendo
Talvez me afundei, feito o Titanic, e fico no fundo do oceano, me corroendo
Posso ter sido devorado pela solidão
E, sem perceber, fui levado para longe, adentrei a escuridão
Hoje me vejo diferente de como era antes, tenho medo de ter perdido meu coração
O que mais espero de 2017 é me reencontrar, e seguir uma direção
Mas não vou mudar meu bom humor, seja onde for
Mesmo depois de anos, quero es5tar levantando outros ânimos.

Eu estou perdido, estou triste?
Me sinto abatido, que dor é essa que persiste?
Talvez seja por conta do amor partido, não sei se é isso
Me vejo como um andarilho no deserto à procura de um rio
Mas que martírio.

sábado, 17 de junho de 2017

Foi Sem Querer

Eu me deixei levar para lhe proporcionar bem-estar
Me deixei ser seduzido, em pensar que tudo estava tranquilo
Estava com medo de amar, por isso escolhi ficar sozinho
Pois reproduzia na minha mente uma sensação de não ter a presença bem recebida
Na minha cabeça eu sou uma pessoa indigna de possuir uma companhia
E foi naquele exato dia que lhe dei uma despedida sem justificativa
Há quem diga que sou uma pessoa depressiva,
Sem amor algum pelas pessoas, e pela vida
Alguns já me construíram uma autobiografia
Os pensamentos direcionados a mim são ótimos, eu diria
Disseram que eu consigo alegrá-los quando estão em péssimos dias
Mas ainda assim, meu consciente quer ser, profundamente, uma caixa preta
E não há nenhuma forma dele demonstrar simpatia
Minha mente torna-se uma dinastia rígida, distante da alegria.

Me afastei de você para não te aborrecer
Estava querendo continuar a conversar, mas estava com medo de me intrometer
Por isso decidi, de modo egoísta, me abster de prolongar nossos assuntos
Comecei a soltar poucos versos, logo fiquei mudo
Em seguida eu sumi, desapareci no mundo
Pensei que meus assuntos te forçavam muito,
Que talvez seus amigos eram mais adequados, que eu era um insulto
Mesmo que pensasse que eu estava errado, eu só queria lhe fazer sorrir
E sempre penso assim, que depois que a noite cai, ninguém se lembra de mim
Mas eu segui tentando te animar, te impedindo de chorar
Que, depois que as lágrimas cessassem eu poderia me ausentar,
Pois você não iria mais me chamar, poderia, enfim, me dispensar
"Você nunca foi, e nunca será meu amigo, largue esse sentimento e vá",
É assim que eu costumo, até hoje, pensar.

Você mandou mensagens, e de repente, perdeu meu contato
Eu havia te bloqueado, estava totalmente afastado
Pensei que assim seria melhor, afinal, mesmo sem mim, você não estaria só
Mas como sempre me enganei, e sem notar, te magoei
Você procurou meu amigo, e desabou sobre ele o que estava sentindo
Não pensei nisso, me desculpe mesmo por isso, não estou mentindo
Pensei que se você estava bem, não faria sentido prolongar, já que eu não era seu amigo
Disse para ele que eu fui idiota, e mau
Mas veja só, esse resultado fora totalmente acidental
O que teríamos em comum? Se sou solitário, etc e tal?
Eu não lhe faria bem, talvez você acabaria ficando mal
Por este motivo eu me afastei, achei que fosse a opção ideal
Mas me enganei, talvez seja por que sou antissocial.

De algum jeito você descobriu o telefone da minha casa
Ele tocou, eu atendi e escutei uma garota estressada
Ela estava realmente brava, alegando que havia sido abandonada,
Alegando que eu não gostava dela
Eu não tinha pensado que acabaria por expor tal ideia
Você desligou depois que me xingou, e não mais me procurou
E aqui estou, com o celular, junto com o carregador
Como desconfia das minhas sinceras desculpas,
Escrevo este texto enorme, esperando que o aceite
Pois sei que tudo o que aconteceu foi minha culpa
Quero apenas que você sorria,
E mesmo que não aceite o meu perdão, anistia,
Peço-te de coração, sorria para o dia
Tenha uma bela semana, uma bela vida.

sexta-feira, 16 de junho de 2017

Amor Doentio

Faço-te várias investidas, feito um galo de briga
Olho para seus olhos que refletem o brilho do sol
Pele macia feito o grão de neve
Em plena segunda-feira lhe faço essa dedicatória malfeita
Avistando seu reflexo no oceano,
Indicando que ele saiba o quanto te amo
Um romance nada meloso é impossível,
Pois me apaixonei logo que admirei teu lindo rosto,
Tão misterioso, com um sorriso instigante
Que não consigo diminuir a quantidade de palavras,
Fazendo-te um texto de frases aladas.

Talvez chegue o dia que lhe escreva um belo poema
Descrevendo o sentimento passional que tanto me condena
O que sinto por ti é, para mim, um amor surreal
Não me imagino mais sem teu calor
Não me vejo em outro lugar diferente de onde estou
Sua simplicidade me tornou réu da saudade
Tantos procurando a felicidade,
E eu aqui, caçando o número da sua casa.

Dizem que a música é a melhor forma de serenata,
Talvez a única, mas transformarei esses versos em notas
Criadas no fundinho da minha alma
Elas demonstrarão como o compositor sente sua falta
Escreverei infinitamente, até que seus olhos me notem
Farei com que os meus dedos implorem
Prometo-lhe que não soltarei este amor
Se preciso for, eterniza-lo eu vou.

Busco sempre te impressionar
Busco sempre uma maneira de te agradar
Percebo a cada dia o quão difícil é te conquistar
Mas, não vou desistir, e um texto romântico irei lhe dar
Sou muito inocente,
Pois acredito que com as palavras certas, você irá me amar
Mas em que posso acreditar?
Já que você é um enigma tão difícil de solucionar
Tenho medo que eu possa te afastar de mim por algo que escrevi aqui
Desejo tanto criar uma declaração para tu se apaixonar
Versos que te façam entender que quero te namorar.

Meu sentimento por ti é enorme, e indescritível
Me causa uma desordem sem limite
Encontrei na dedicatória uma forma de lhe fazer um convite
Que, talvez no final, após ter lido, você aceite sair comigo
Meu coração parece precisar muito disso
É como se eu não encontrasse palavras suficientes para mostrar o que sinto,
É como se fosse algo impossível de ser escrito
Confesso que sou um marinheiro de primeira viagem,
Não possuo a experiência necessária, sou um aprendiz de fábrica
Navegando em águas desconhecidas, mas, de certa forma agradáveis
Procurando meu tesouro, que é, na verdade, minha "cara metade"
Sua casa é a direção que minha bússola aponta, sem saber se também me ama
Mas talvez isso não importa, só quero dedicar esses versos para a dama
Mesmo enfrentando ondas violentas,
Mesmo resistindo as tempestades extensas,
O meu objetivo é lhe dar meu amor doentio.

terça-feira, 13 de junho de 2017

Um Lugar Para Um Louco

Talvez eu esteja ficando louco,
Pois, hoje eu fiz das minhas paredes uma plateia
Sozinho no quarto, fico conversando com elas
Um antissocial em busca de um lugar ideal,
Que algumas vezes possuí pensamentos surreais
Sem conseguir controlar os instintos naturais.

Talvez eu esteja excluído deste novo mundo,
Um mundo dominado pela alienação do adulto ao jovem prematuro
Não consigo raciocinar como podem existir pessoas ocas,
Sem consciência para pensar, refletir, que não falam nada quando abrem a boca
Sinto como se fosse o único a testemunhar a impotência das outras
Há quem diga que isso se deve ao controle das grandes potências
Mas, como duvido de tudo, devo discordar,
Há sempre a suspeita sobre o que possa ser lido
Pois, feito uma moeda, existem verdades com mentiras encobertas
Com uma simples opinião, digo que as pessoas já foram mais espertas
As mentes delas hoje estão desertas, aceitando ideias discretas
Leiloando seus pensamentos, à procura de uma ótima oferta.

Há brasileiros nos jornais, sobre atos judiciais
Entre os envolvidos, jovens sem diploma, com ideias criminais
E eu aqui pensando que os adultos eram os que deveriam guiar o bando
Mas o mundo, como sempre, está mudando
E hoje já não sei mais como aderir ao pensamento mundial,
Se todos são influenciados com gestos brutais,
Como o atentado na Europa, com cheiro de pólvora.

Talvez minha mente não esteja bagunçada como a de Darko
Posso até não carregar esse fardo,
Mas nada acontece por livre a caso
Poderia ser a teoria do caos, de fato
Seria eu mais um lunático solto no mundo a fora?
Ou apenas uma pessoa comum, sem defeito algum?
Pois, da atualidade, sinto que não faço parte
Nas músicas da moda que sempre me incomodam
Das brincadeiras da infância sinto saudade
Os novos estilos me dão sono
Os clássicos são os que amo.

Escolho então fechar a porta, e conversar comigo mesmo
Melhor falar sozinho, do que discutir com um mundo sem jeito
Seletivamente eu separo as palavras que aqui escrevo
Cuidadosamente tento meditar, em um texto reflexivo
Mas a barulhada do lado de fora atormenta meu lado pensativo
Fecho então as janelas, e silencio meus ouvidos,
Afim de escapar deste mundo que está em declínio
Que essa infecção de pessoas sem noção não chegue aos meus filhos
Hoje posso ser um jovem sem direção,
Mas mesmo sem saber onde ir, eu me perco entre meus textos líricos,
Sem ferir ninguém, sem fazer mal ou bem
Apenas estou aqui, escrevendo, com sentimentos.

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Um Dia

Um dia irei voar
Um dia beijarei o mar
Me cobrirei com nuvens pelo ar
Voarei tão alto, onde nem mesmo Ícaro pudesse alcançar
Surfarei sobre o lindo arco-íris
Viajarei assim como as águas do Nilo
Nunca mas ficarei sozinho,
Pois o céu será meu melhor amigo
E, como no deserto, encherei meus olhos de miragens
Sentirei em meus braços a liberdade
E escutarei as sinfonias dos gênios clássicos
Meus pensamentos ficarão pacíficos e intactos.

Um dia eu serei livre
Um dia o céu dirá que sou bem-vindo
Me abraçarei ao manto divino
Aquecerei-me com o sopro vindo do Norte
E o Sul me dará a sorte,
Como um trevo de quatro folhas
Me guiarei, e irei para o infinito, como os dias da semana.

Haverá de ter um momento de corpo sereno
Um segundo que traga todo o tempo
Um dia eu ainda patinarei sobre o vento,
Cruzando os cata-ventos dos morros morenos
E sonho com a vinda deste dia
Onde existirá alegria compartilhada
Uma terra encantada.

Uma liberdade total, sem limites
Sem a ordem natural, sem a lei gravitacional
Onde tudo será possível e nada será normal
Poderei dar uma passada no espaço sideral,
Conhecer a Ursa Maior, e também a menor
Comparado com hoje, neste dia estarei me sentindo melhor
Estarei puro, com um sentimento sem nó
Estarei junto das estrelas, que se espalham feito pó.

E, para quem se sente só, vejam ao redor
Olhem para cima, vejam o céu brilhar
E, como eu, imaginem o infinito, tornem seus sentimentos mais íntimos
Mesmo que não sintam o carinho vindo de cima,
Tornem seus pensamentos seus amigos, e que suas memórias façam novas amigas.

Quem sabe eu viva até encontrar a paz
Quem sabe o mundo deixe as guerras para trás
Um dia, talvez, não haveremos de ter falsos profetas
Ou homens da ciência, dizendo que estamos próximos da destruição certa
Um dia seremos imunes à alienação e à corrupção
Ou se caso não aconteça, seremos escravos, sem jamais enxergarmos a imensidão.

Um dia, vinte e quatro horas, é o bastante,
Para eu alcançar o horizonte
Caminhar até o reino Tão Tão Distante
Assistindo as tradições sendo atropeladas pelas revoluções
E contemplando novos gênios nascerem,
Dando início a novas ideias e intenções.

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Amor Mitológico

Amar-te é como uma brisa de verão
Indescritível, mas que aquece meu coração
Buscar um senso racional é inútil
Te amar se provou algo surreal
Chamem-me de estúpido
Teus olhos são reveladores, e misteriosos
Seus lábios são pecadores, e impiedosos
Tua pele és macia feito a neve
Te farei versos para entreter seus ouvidos
Lhe presentearei com um texto lírico
Peço-te, entretanto, teu sopro sobre meus ombros
Prometo transformar o céu em um oceano
Puramente para lhe mostrar o quanto lhe amo
Que o que sinto desafia o próprio mundo,
Que desceria ao Tártaro para ficarmos juntos
Serás tu a Perséfone sequestrada?
Se sim, eu lhe resgataria, e a traria de volta a sua casa.

Meu amor será um colosso, feito Tifão
Farei de tudo para sentir suas mãos
Levantarei o mundo, como Atlas, o titã
Com o seu carinho, faria flechas para o Cupido
E de Hefesto eu me tornaria um pupilo
E para ter seu brilho, de Hélio me tornaria amigo
As irmãs nos reservaram um belo destino,
E seremos abençoados diante do Monte Olimpo.

Por ti eu furtaria o fogo de Prometeu
E o brilho dele seria somente teu
Se pedir-me, lhe daria o raio de Zeus
E os céus seriam somente seus
Dei-me um sorriso, e o mar se contorcerá em redemoinhos
Avisando para o deus marinho,
Que tu tens o poder de ter tudo aquilo.

Faria mais que doze trabalhos
Por ti eu enfrentaria o Leão todos os dias de março
Tudo para ficar ao teu lado,
E jamais refletiria se o meu sangue fora desperdiçado
Pois você seria Helena de Troia, e eu um príncipe flagelado,
Por fim, subiria até os Alpes
Apenas para gritar que estou apaixonado.

Mangueiras

No condomínio está quem um dia amei
Está lá quem um dia fiquei alucinado
Não me lembro mais de quantas vezes me declarei
Todos ao meu redor sabiam como eu estava apaixonado
Muitas vezes eu provei a ela, me esforcei
Antes que eu me desse conta,
Ela me seduziu feito uma onda
Acabei me tornando um escravo daquela dama
Ela me induziu, e meu amor guiou-me como um rio
Eu estava satisfeito, sonhando com um casal perfeito
E me sentia um forasteiro,
Pois só eu sonhava com os lábios dela, seu beijo
O que eu sentia era de outro mundo,
Era muito confuso.

Naquela época eu faria de tudo por ela
Nada valia mais do que o sorriso dela
Naqueles anos eu me vi dependente,
Impaciente para ver uma garota sorridente
Dei importância a felicidade daquela criatura
O que eu sentia não caberia em uma caricatura
Eu estava sendo dominado por algo sobrenatural
Naquele tempo eu estava com um sentimento real
Mas a situação em que me encontrava era desigual
E para ela, tudo estava perfeitamente normal.

O tempo fez seu trabalho, e passou
E aqui estou, no ônibus sem trocador
Sentado perto dela, em outro banco
Sem crer que amava ela tanto
E hoje me sinto como um marciano,
Inapto a entender os sentimentos humanos
Tudo que vejo agora são memórias
Sinto-me como se ela fosse um piano sem cordas
De tão tocado, perdeu seu lindo charme
Não escondo o coração que já se partiu
Mas o ontem fora um passado, que já se despediu
Não sou dotado de falta daquela história.

Eu não me arrependo do que senti
Não esconderei jamais o que vivi
Já me apaixonei, já me enganei
Mas quem nunca amou, jamais irá me entender
Quem se engana,
Dirá que tudo escrito aqui fora um drama
Mas essa história faz parte de mim
E foi assim.

Refém do Tempo

Certa vez eu escutei que,
O segredo era não se importar com a dor
Seja quanto, ou onde for
Que a paz será daqueles que a merece
Que o pior a gente nunca esquece
Mas não me vai da memória a repetição
Tudo que faço não possui fim,
Tudo que vejo é a escuridão
Estou cercado por muros em minha imaginação
Perdi o sentido de viver
Indago sempre o porquê, e nunca escuto resposta
Talvez eu não possua uma escolha
Talvez eu não deva buscar uma simples lógica.

Meu orgulho foi-se junto ao ar puro
Vivo hoje sem pensar no futuro
Engaiolado me escuto soluçar
O passado se tornou o meu lar
Não possuo perspectiva de uma longa vida
Talvez, quem sabe, eu escape dessa rotina
Os seres daqui se movem feito rodovias
Barulhos e uma neblina sem vista
O ciclo não se envelhece, apenas as pessoas
Ele prevalecerá, e elas serão simples sopros que voam.

quarta-feira, 7 de junho de 2017

Minha Minas Gerais

Ando de dia em uma cidade agitada
Desfilo a noite sobre a cidade iluminada
Onde existem estrelas disfarçadas,
Onde a Lua se perde dentre tanto brilho
Onde os vaga-lumes encontram suas casas,
Onde os pássaros se escondem do frio.

Faço caminhadas por entre os passeios
Caminho sem rumo, sem senso
Sinto o vento me ultrapassar pelos becos
E, como uma fornalha, me aqueço, sem medo.

Vejo sombras a passar
Vejo criaturas metálicas a transitar
E no bosque, aquele aroma de final de semana,
Aquela sensação que meu corpo tanto ama
E mesmo sem ter o mar, eu viajo em ondas imaginárias
Escutando os sons vindos das minas
Memorizando as pedras nas idas e vindas.

Os tempos estão deveras mudado
Poucas são as vezes que vejo bois fora dos cercados
Os carros de madeira hoje estão nos museus
Mas se passo perto do arame farpado, escuto os mugidos do gado
E por dentro das rochas de minha igreja,
Ressoa as vidas dos escravos, imortalizados em lendas
Onde as pessoas dizem escutar o bater de suas algemas.

Meu querido estado, construído pelo barro
Das crianças dos pés descalços
Dos amantes do pão de queijo, e do caldo
Lindas mineiras, formosas por natureza
E sobre as montanhas, o nascer das cachoeiras
A selva verde, que torna a paisagem uma nova forma de beleza
O sabiá, que viaja por entre as árvores,
E descansa quando percebe que já está tarde.

Dos bosques e os parques ecológicos
Das chácaras aos incríveis zoológicos
E os diversos monumentos históricos
Mariana, Tiradentes, Outro Preto
São partes do descobrimento perfeito
Belo Horizonte, a capital do meu trânsito
Onde os semáforos entram em pânico.

Minha terra, que se estende através das serras
Meus córregos e rios, que percorrem por dentro das florestas
Aqui está meu recanto, vivo enxergando encantos
O Sol brilha, e reflete as pedras valiosa
Transformando as colinas em vistas maravilhosas
A terra de onde brota as flores mais belas
As andorinhas, que fazem acrobacias durante o dia
Eis que, acerca dos morros, estão os refúgios do louro
Ó terra divina, origem de minha vida
Ó terra de poetas, progenitora de palavras eternas.

Quem Sou Eu?

Muitas pessoas não se conhecem muito bem
Às vezes elas se sentem como um ninguém
E as vezes eu me sinto como elas,
Às vezes me sinto como uma poeira que se instala na janela.

Muitas são as vezes que escrevo para fugir do mundo,
Insano, onde só sobrevivem aqueles que possuem um belo plano
E não sou tão sagaz, as vezes até esqueço em que ano estamos
Até o momento eu sinto como se já tivesse escrito tanto
Mas a noite, eu sinto como se faltasse algo em algum canto
E, mostrando para o espelho, o meu pseudônimo é o que desejo
E eu escrevo pensando em tudo que vejo, ou com fatos que ocorreram comigo mesmo
Sou uma pessoa solidária, mas muito egoísta
Quero ser a única a ficar solitária, refletindo sobre a vida
Em alguns textos eu cito minha vontade de ajudar,
Não é falsidade, mas infelizmente eu sinto como se eu fosse incapaz
Não busco quantia, busco o sentimento de um dia regado em alegrias.

A maneira de escrever é simples, eu sei
Não vejo motivos para mudar, ainda creio que seja expressivo
Mesmo sem criatividade, coloco sobre o papel o que me faz bem
Já tentei descrever coisas que nunca senti,
E o resultado não gostou muito de mim,
Não me reconheci com o que li
E este é o motivo para escrever tantos textos líricos
Pois neles podem ser vistos meus sentimentos escondidos
E a cada dia, cada renascer da vida, tento deixá-los lindos.

Só há uma pessoa que tento impressionar
Só há uma pessoa que tento fazer se orgulhar
Mas parece impossível, mas não paro de tentar
Pois, se eu comecei, devo continuar
Minhas palavras um dia irão acabar,
E sonho que, quando esse dia chegar,
Vou ter a certeza que consegui fazê-la admirar
Mas talvez eu esteja sendo ingênuo, insistindo em uma bobeira
Talvez quem consiga tal proeza,
Está assentado em uma das cadeiras da Academia de Letras
E eu só me sento no chão do meu quarto, ato de humildade?
Porém, meus pensamentos não querem se conformar
Não há um só pensamento dizendo para eu deixar pra lá
Frases de um adolescente sei que elas irão se apelidar
Não posso discordar, nem mesmo sei o que escrevo
Quem dera fosse poemas, mas permanecem como simples textos,
Que possuem uma ambição, um desejo gigantesco.

Quem sou eu? Acredito que eu mesmo não sei
Apenas descrevo os pensamentos em cada dia do mês
O objetivo é claro, mas temo que não será completado
Porém, ainda serei recompensado com páginas fictícias de um diário
Mesmo que exista quem diga que sou afeminado,
Cessarei apenas quando o meu estoque de sentimentos houver terminado
Aqui deixo um novo recado, talvez um pouco inspirado
"O quão difícil é tornar um conjunto de versos,
Em um puro sentimento eterno".

segunda-feira, 5 de junho de 2017

Através De Um Galho

Ela me chamou de louco
Disse que para mim, não existe "apenas um pouco"
E por conta da minha imaginação,
Culpa-me por ser muito imaturo
Mas falei para ela, para não tentar me mudar
Pois este é meu mundo, não quero deixar de imaginar
Se não, a televisão, a internet, a comunicação,
Me transformarão em um ser humano devolvido ao tempo da escravidão
Se eu deixar de sonhar, me tornarei mais um alienado
Mais um que teve o poder de pensar, amputado
Não conseguirei nem mesmo permanecer levantado.

Ela tentou criar uma "nova pessoa" para mim
Mesmo não confessando, ela estava se incomodando, eu percebi
Então, para finalizar minha conclusão, a perguntei, e ela disse sim
Pensei qual era o motivo para ela ficar tão incomodada
Como diria conhecidos, "Estava na cara"
Talvez as minhas rimas eram ricas de depressão explicita
Talvez os bons dias acabaram sucumbindo à rotina
Talvez eu não havia cedido a ela a atenção devida
E o silêncio que predominava nos lábios dela, me torturava
Não sabia se tinha feito algo imperdoável
Temendo por talvez está se apagando aquela vela.

Decidi não ficar dependente do celular
Peguei o ônibus e fui até o campinho que costumávamos ficar,
E ela estava lá, segurando algumas folhas de hortelã recém-chegadas
Me sentei ao seu lado, e muito preocupado, acabei ficando calado
Me sentindo no próprio vácuo.

Haviam poucas pessoas perto de nós
Talvez umas três, mas nos sentimos a sós
Era um tanto quanto estranho, mas,
Parecia que de mim ela já não mais gostava
Mas eu estava crendo que nossa relação estava normal
Pensei que estávamos felizes como casal
Mas talvez eu, em algum momento, tenha feito algo mal
E estava me machucando o escutar apenas do vento
Talvez fosse melhor darmos um tempo,
Afinal essa era uma opção valida naquele momento.

Com um fino galho ela desenhou sobre o chão
Não sei o motivo, mas ela me cutucou, me chamando atenção
E, em meio a poeira, ela desenhou dois bonequinhos de palito
De início eu pensei que fosse bobeira,
Mas ela escreveu algo, que estava um pouco complicado para ser entendido
Mas logo em seguida eu consegui compreender, estava escrito exatamente assim
"Tenho medo de não ter mais você perto de mim, me entristece até o fim".

Levemente segurei o queixinho liso dela
Olhei para aqueles olhos castanhos lindos
E simplesmente indaguei para ela
"- De onde você tirou isso?".

O amor realmente é confuso
Mesmo estando ao lado da pessoa,
Não nos sentimos completamente seguros
Nunca houve motivo para insegurança,
E mesmo assim, ela temia a distância.

sábado, 3 de junho de 2017

Pequena Cela

E nas paredes da pequena cela,
Onde a única paisagem que possuo é pela janela,
Estão marcados os pecados que cometi no passado
E como uma alma despedaçada,
Nesta cela eu sou julgado.

É nesta pequena cela que me lembro, todo dia, de meus erros
Feito um passarinho, preso entre espinhos de medo
Minha vida se evapora toda vez que o sol vai embora,
E a paisagem através da pequena janela é sempre a mesma
Não sei mais quanto tempo faz desde que vi um rosto de criança
Notei que estava ficando louco quando me esforcei para relembrar,
Mas me esqueci da minha infância
E a minha esperança é que a fome me enfraqueça,
Que eu morra antes que a monotonia me enlouqueça
Nesta pequena cela, onde vejo o mesmo concreto, me torno cego.

Os meus pensamentos ganharam vida própria
Eles me dizem para me enforcar, ou me corta
Não há um arco-íris para me levar para longe,
Até um pote de outro, cheio de deliciosos bolos de chocolate.

O guarda que escuto se aproximar, um dia foi pequeno
Eu me lembro dele, não há como me esquecer dele me observando,
Por entre as barras, o meu sofrimento
Hoje ele já é adulto, mas eu não sei mais quem sou
Ele se aproxima, digam-me, pensamentos, para onde vou?

Não Mais, Dama

Dia 31 de Maio,
A vida já tinha aprontado certos infortúnios,
Eu estava sobrecarregado, mas estava conseguindo aguentar
Estava difícil, não minto,
Mas não chegava ao ponto de ter o pensamento de me suicidar
Deixem-me apenas comentar sobre essa ação,
Que eu acho que é executada por pessoas de mente malfeita,
Sem nenhuma noção.

Era madrugada, estava acabando de escrever "Fantasia Na Escrita"
Estava muito feliz com o que tinha feito com aquela rima,
Eis que o meu celular vibra
Vejo a notificação, o que ela me indica
Pensando ser aquelas promoções de operadoras,
Mas para minha infelicidade,
Quem me chama é aquela que a muito tempo me provocou saudade
Estava querendo conversar, perguntou como eu estava
Respondi sem medo, mas incrivelmente não tinha interesse
Ela estava querendo que eu voltasse a conversar com ela,
Como se fôssemos dois desconhecidos, dois vizinhos
Consegui manter um certo equilíbrio
E, mesmo me dizendo que por causa de problemas, ela pensou em suicídio,
Me desculpem, não pensem mal de mim, mas pensei comigo
"- Então linda, lamento lhe informar, mas eu não ligo"
Não, não estava revoltado, tão pouco estressado
Mas tinha sofrido tanto por ela,
Que hoje o que sinto, são tons de cinza em uma aquarela
O que eu sentia se enterrou no túmulo, junto com um amor que se entregou
E não vejo o por que falar com alguém que a muito tempo ela se despediu
Ainda me disse que eu estava sendo grosso,
Não posso contradizer, afinal as mulheres "estão sempre certas", não é mesmo?

Eis que o assunto tomou um rumo, uma forma
Eu comecei a responder as perguntas que me eram feitas a toda hora
Mas ela não respondia nenhuma, ficava no time de fora
Então, dei um ultimato
"- Se apenas eu falar, vou me calar, pois não quero me escutar"
Gradativamente ela foi se confessando
Sei que é hipócrita, mas não estava interessado em nada que ela estava falando
Talvez eu tenha me tornado uma pessoa com o coração congelado
Enfim fui presenteado com um coração que não irá mais cair na ilusão,
Que finalmente aprendeu o que realmente é paixão,
E o que é uma simples história sem continuação.

Mas foi no fim que talvez eu tenha sido ruim
Ela disse para eu continuar, para não a ignorar
Que eu deveria mandar, logo quando o próximo dia chegasse,
Uma simples mensagem, "- Como você está?"
Mas eu simplesmente disse, "- Talvez não mande, mas não se engane,
Eu ainda vou continuar te respeitando".

Antes do sol nascer, eu apaguei, pela terceira vez, o número da antiga amada
O sofrimento hoje calejou o meu coração
E agora, a falta dela não me causa mais a solidão
Então para que manter contato?
Se meu coração está farto daquele rostinho de um conto encantado
Foi maravilhoso, eu realmente queria que aquele amor tivesse sido eternizado
Mas, infelizmente, aquele sentimento só descreve o meu passado
Hoje ela talvez me queira ao lado para desabafar,
Mas não estarei lá.

Viajante Sortudo

Te farei uma promessa
Não a enxergue como uma proposta
Amar-te me fez crer em algo inacreditável
Juntou-se a ti o indispensável ao agradável
E sabes o céu o quanto te espero, tornando-me um reles réu
Não há dicionário que descreva sua beleza
Faço-lhe uma confissão sem ilusão
Necessito sentir o calor de suas mãos
Espero até o nascer da Lua,
Para me perder em meio a suas curvas
Fazendo do dia algo especial
Me perco então, como um foguete no espaço sideral,
Que estava em busca da paixão.

Mesmo não sendo um poeta,
Estou aqui, tentando lhe agradar com minhas palavras prediletas
E, como o planar de uma gaivota em pleno mar,
Me sinto livre, com um sentimento puro e indestrutível,
Que quero te amar, e não há tempo para esse sentimento expirar
Não escrevo poesias, mas lhe presenteio com declarações sem mentiras
Pois hoje, o que há de mais importante na minha vida,
É saber que tenho seu apoio, por isso, te amo muito
Não quero conquistar o mundo, e sim, as palavras mais belas
Só para lhe fazer uma bela serenata, a luz de velas
Lembra do desenho da Dama e o Vagabundo?
Faremos o nosso próprio conto, perdoe-me Ward Greene
Trocaremos os cães, sentaremos em bancos, e ficaremos juntos.

Assim como Tarzan,
Você é a Jane que desejo ao acordar da manhã
Eu poderia ficar aqui citando vários nomes,
Mas ainda assim não seriam o bastante
Estou à procura de uma forma de lhe mostrar,
Como o meu coração te ama cegamente, ele não está se comportando como antes
E quando não estou com você, ferve dentro de mim desejos fulminantes
De querer sentir seu perfume, aquele aroma reconfortante
Não se engane, não estou tentando lhe conquistar com palavras soltas
Isso seria ultrajante, sou apenas um simples viajante,
Que encontrou no Cairo, teu abraço
E mesmo que não seja um exímio navegante,
Em seus lábios encontrei algo desconhecido
Uma sorte como a de Pedro, mas na minha eu ganhei algo melhor que ouro
Ele morreu sem saber que encontrara o Brasil,
Mas comigo foi diferente, logo vi o que tinha encontrado, e me entreguei.

Os pássaros da Branca de Neve cantarão para nós em breve, apenas espere
Mesmo não possuindo sangue real, que não terá valor ao termino do funeral,
O que sinto por você é fenomenal, e indiscutível, não se apagará
E mesmo que, por alguns minutos você se esqueça do que sinto,
Te presentearei com um pequeno livro,
Sobre um sentimento invencível.

Busco palavras, sem descanso
Prometo-te que lhe darei todos os meus sonhos
O meu amor por você é maior que o mar mediterrâneo.

sexta-feira, 2 de junho de 2017

Receita Para Um Planeta

Duas colheres de sopa de fogo
Uma colher de inteligência superior
Caso queria diversificar, coloque um pouco de amor
Mas não coloque muito ouro,
Pois se não, o resultado será outro
O resultado não será o esperado
Ainda estamos longe para o modo de preparo
Ainda temos mais alguns ingredientes, tomemos cuidado.

Uma pitada de carinho,
Um bloco de um pensamento frio,
Igualando com um sentimento vivido
Talvez um pouco de ambição, nada muito alto
Como cobertura, usaremos a esperança,
Que é a força duradoura, defensora
Beleza exterior, para depois eles entenderem,
Que o que mais há de importante está no interior
E assim continuemos nosso experimento,
Se tudo der certo, criaremos os seres perfeitos.

Instruções iniciais, cruciais, vitais
Não poderá ocorrer um só erro
Pois mesmo que sejam pequenos, podem ser fatais
Na medida certa, nem menos, nem mais
A mistura deve ser pura,
Se não, teremos criaturas irracionais
Tenhamos cuidado ao combiná-las no vaso de barro,
Não deixemos transbordar dos lados
Então, com muita atenção, teremos o final desejado.

O exagero é uma forma de diferenciar as criações
O conhecimento muda o mundo, em questão de segundos
Criaremos diversas formas de comunicação, para separar as civilizações
Seremos presenteados com altares para adorações
Com esta receita, seremos deuses,
Com o poder de indagar os corações
Com esta receita, daremos início as futuras conspirações
Iremos sumir, iremos nos extinguir,
Mas o mundo que criamos com esta receita,
Nunca deixará de existir.

Palhaço Inexistente

Hoje fui apresentado a namorada do meu irmão que,
Apesar de não ser de sangue, é de coração
E, ao primeiro instante, eu pensei se eu falava com ela, ou não
Estava com medo de causar uma catástrofe, como um furacão
Ela foi se aproximando, pensando consigo mesma,
"- O que está rolando?"
Tomei a iniciativa, para tentar deixá-la entretida,
E era só isso que eu queria como ponto de partida, o começo
Mas não posso mentir que a situação me deixou tenso
Com o meu amigo de um lado, calado,
E em minha frente estava a garota que ele tanto havia me falado
Eu estava procurando um assunto para nos deixar entrosados
Meus pés não paravam, tremiam, demonstrando-me como sou um legítimo "mané"
E meu amigo rindo, as vezes perguntando "- Você está bem, zé?".

O assunto em fim surgiu, e ele foi-se desenrolando
Obviamente meu amigo ficou ali, parado, apenas observando
Mas em meio a uma conversa bem honesta,
Eu continuei conversando, e acabei ultrapassando
E reflito agora que, a maneira que ajo, não presta
Continuei perguntando, eis que em um dado momento, meu amigo sai
O celular tocava, ele pediu licença, e se distanciou um pouco mais
Ao retornar, o clima começou a se alterar,
E ele não quis justificar por que teve que se ausentar.

Eis que, gradativamente, percebo que ela irá chorar
Prevejo um futuro próximo, lágrimas descem a partir de seus olhos
Comecei a pensar que talvez eu seja um demônio.

Desci da casa dele imaginando que seria melhor não ter ido até lá,
Comecei a reparar que coisas ruins acontecem quando saiu do meu lar
Talvez eu devesse hibernar, não mais tentar me enturmar, me aprisionar
Pois não fora essa a primeira vez que fiz lágrimas rolarem,
Melhor então eu me silenciar, antes que os outros me calem
A vida está me testando, e eu continuo fracassando
Eu tento animar as pessoas, mas acabo só as machucando
Talvez seja melhor então parar de tentar animar?
Só são mostrados resultados negativos, por que continuar?
Não quero mais causar ferimentos que custaram a se fechar
Fazer jorrar lágrimas salgadas, anunciantes da tristeza clara.

Acordei feliz, dormirei infeliz
Sobressaindo um sentimento frio, e sem fim
Descanso, talvez seja isso que eu preciso
Mas me entristece sentir esse abandono
Sinto muito a todos, por não ser a melhor pessoa do ano
Eu tentei, eu juro, mas parece que animar as pessoas, não faz parte do meu futuro
Me desculpei, mas a dor que os causei, jamais esquecerei
Por uma situação proveniente de uma confusão que hoje eu orquestrei
Não escondo que a culpa é minha, eu errei, e eu confessei
Vejam a inocência, pensei que ia dormir sem peso na consciência,
Mas no travesseiro estará em repouso uma pessoa sem competência.

Vejo que não nasci para viver em conjunto
Isso me incomoda? Muito, pois quero fazer sorrir o mundo
Se não consigo fazer sorrir uma pessoa,
Para me intitular um palhaço, se não ajudo?
Sei que essa minha narrativa não fora das mais lindas,
Mas hoje aconteceu algo inusitadamente triste em minha vida;

Desculpe amigo, e também peço desculpas a sua querida,
Desculpe, "Mômô", não era isso que eu queria.

quarta-feira, 31 de maio de 2017

Fantasia Na Escrita

Eu sei que não sou um gênio,
Que não possuo o paladar de palavras refinadas
Não tenho a linguagem do romantismo, mas tenho meus pensamentos
Eles podem não ter quaisquer utilidades,
Mas eu terei a certeza de escrevê-los com vontade
Eles podem não ser escutados por ninguém,
Mas farei ressoarem até eles se sentirem bem
Sei que não sou especial,
Mas por que me prenderei a algo não banal?
Só por ser normal, será que isso me impede de fazer algo surreal?
O limite só é criado para aqueles que possuem o sono fraco
Se eu me deitar toda hora que me sentir cansado,
O tempo nunca será recuperado, cairei em um vácuo
Estarei condenado, um limbo sem horizonte será aguardado.

Vejo por aí vários textos com palavras que nunca entendi
Mas não preciso usufruir de escritas de puro enigma,
Para tornar uma leitura digna de aplausos,
Posso usar o que se aprende no ensino fundamental,
Para deixar transparecer um sentimento real
E por conta disso, eu me torno uma pessoa trivial?
Não me faz mal, contanto que eu possa continuar com "frases normais"
O objetivo de escrever meus sentimentos não é ser reconhecido,
Meu motivo é apenas formar um livro pessoal, que possua para mim um sentido
Que eu me identifique.

Pudera eu escrever de forma bela,
Mas infelizmente não tenho conhecimento da literatura
Minha lista de palavras é deveras curta,
E por conta disso, me falta algo que não insisto em ter
Jamais formarei uma linda partitura,
Mas talvez posso sim, se eu realmente querer
Jamais transformarei meus poemas em músicas
Só posso desejar que minhas frases não sejam duras,
Pois são muitas as vezes que perco a compostura,
Por tentar criar uma sinfonia simples e pura.

Uma pessoa disse uma vez que escrevo poemas,
Quem dera se fosse verdade, estou mais para uma nota de imprensa
A minha realidade realmente não condiz com a fantasia
Nela eu sou um conhecido da Bahia,
Conheço Castro Alves, logo, viajo para França, e falo com Joana d'Arc
Volto para o Brasil sem samba, e luto ao lado de Zumbi dos Palmares
Ou quem sabe apreciar belas imagens junto ao Príncipe de Gales
E também posso ser levado para Itália, e contemplar, de Michelangelo, as suas belas artes
Posso ir para a Valáquia, conhecer o tal Príncipe Vlad
Minha fantasia me leva até Tales, e suas iniciais premissas
E há quem diga que estou louco,
Quem dera fosse.

domingo, 28 de maio de 2017

Meu Paraíso

Hoje eu estou melhor,
Passei muitas semanas me sentindo só
Vejo que perdi muito tempo
Mas posso dar continuação aos meus inventos
Eu estava com o coração partido
Relembrando momentos já extintos
E isso estava me matando por dentro,
Que a cada dia, eu criava um novo testamento
Assim como Prometeu deu aos homens o fogo, e logo sofreu
Dei o amor de um plebeu, que se rendeu
E o mundo de hoje não parece aceitar sentimentos como os meus
O romance parece que perdeu o seu valor, está distante
Pois, se me arrisco mostrar um texto meu mal escrito,
Damas irão debochar, os tais amigos irão me humilhar
E sempre penso nisso tudo, mas não desisto
Pois a minha intenção não é ser bem visto,
É apenas ficar quietinho, rabiscando uns pensamentos lindos
Tento, incessantemente, agradar a todos, mas não sou Cristo
E se mesmo ele não agradou, eu não consigo.

Eu nunca quis escrever sobre depressão,
Mas infelizmente um texto nasceu em meio a uma situação
Não consigo ler os meus versos que sei que irão me abater
Queria escrever sobre um amor, uma paixão
Mas do que adianta, se hoje estou com os pés no chão?
O que tenho aqui como companheiras são as paredes,
Que vigiam a minha vida, como câmeras.

Às vezes eu só quero parar de rimar,
Às vezes quero apenas me afastar, e deixar o tempo me devorar
São muitas as vezes que penso que estou sendo idiota
Mas as vezes sinto falta da caneta, e acabo pegando-a de volta
E eu nunca escrevi almejando alguém para me ler,
Só queria escrever, sem pensar muito nos "porquês"
Mas hoje acredito que encontrei o motivo
Eu estava fugindo do mundo real,
Criando um lugar seguro para me esconder, meu refugio
Onde eu era uma pessoa normal, sem deslocamento social
Um lugar onde eu era aceito, era igual
Onde não precisava me preocupar com pessoas mentirosas
Não, não aceito o termo que todas são falsas,
Pois, se eu acreditar, não fará sentido viver em sociedade,
Então terei que fugir para as áreas montanhosas, subirei como o bater de asas
E por que não possuir tal capacidade, e liberdade
Me pus a me instalar no meu cantinho,
Quieto, como um pássaro em seu ninho, me protegendo do frio.

E eu pensei sinceramente que cessaria os textos em 2016,
Mas eu estranhamente continuei, e um certo tempo dediquei
Disse para mim mesmo: "-Já chega, vai escrever textos a vida inteira?"
Por alguma razão, passei a não dar ouvidos as minhas indagações,
E meus pensamentos ganharam forma, ilustrações a cada hora
Mesmo querendo parar, minha mente me persuadia a continuar
E logo eu estava lá, sentado no chão, apenas formando versos na solidão.

Pobre de mim, pensei que conheceria alguém similar
Alguém que tivesse uma forma de se expressar como a minha
Mas, infelizmente, a única que conheci foi-se embora de vista
Porém, a minha vontade me movia, e ainda hoje me encaminha
E, ao término de sete dias, me pego escrevendo como a um cego
Coloco minha mão sobre o caderno, fecho os olhos,
E imagino a linda visão que ostenta o horizonte
Talvez seja essa uma de minhas inspirações?
Talvez meus versos desejam alcançar os corações?

Poderia eu estar no milênio correto,
Mas no século incerto?
Me sinto tão sem lugar aqui,
As pessoas que observo só querem saber de exibição,
Seja de bebidas, seja com as "melhores coisas da vida", a curtição
Aquelas que deixam as pupilas avermelhadas, e a vista embaçada
Mas ainda não sinto que eu esteja a perder tal "prazer"
Opto por me distanciar, me abster
Quero estar limpo quando eu morrer,
Apesar que isso jamais irá acontecer
Mas, em alguns assuntos é melhor eu não me envolver.

Hoje eu estou bem, não sei quanto tempo vai durar
E mesmo sozinho, sem nenhum amigo,
Lentamente eu estou a me levantar
Imaginando um mundo lindo, um paraíso
Onde serei aceito pelo que sou, pelo que preciso
E uma nova utopia hoje eu crio.