sábado, 21 de abril de 2018

Os Olhos De Miranda

Estou aqui de novo
Não se preocupe, não falarei de amor
Estou aqui de novo para falar sobre dor
Agora não sei o que fazer para ela ir embora
Não sei o que fazer agora
Meus versos que outrora me cabiam bem,
Hoje me fazem chorar como ninguém
Não irei parar de escrever, mas estou perdido
Eu te amei tanto quanto o tamanho de Santos
Tantas palavras avulsas eu formei,
Mas agora elas me machucam, meus abutres
Hoje eu chorei, ontem já não sei
A lua já não escuta mais os meus uivos,
De um lobo apaixonado, estou em pedaços.

Escrevo para você, pena que não irá ler
Sinto muita saudade de você
Ontem escrevi, hoje estou aqui,
Mais uma vez, para falar sobre ti
As lembranças que antes eram alegres,
Hoje são difíceis de aguentar
A vida segue, minha dor me persegue
O mundo só perdeu uma pessoa, uma sombra
Eu perdi minha dama, minha anja
Sinto você quando escuto aquelas músicas,
Sinto você quando escuto aqueles sambas
Tudo o que eu queria era voltar no tempo,
E torná-la imortal, eu te amo.

Me desculpe, não consegui evitar
Eu sinto falta de te amar
Quando casamos você me prometeu,
Que você seria minha e eu somente teu
Mas estou sozinho aqui, sobre os lençóis
Onde você está? Para onde foi? Estou só
O que devo fazer sem sentir aquele seu perfume?
O que devo fazer com minha vida? Me ajude
Por que não me levou? Por que me abandonou?

Me apaixonei pelos seus olhos
Me entreguei, e nos tornamos sócios
Meu amor eu te dei,
E você retribuiu, nossos filhos,
Hoje são adultos, os criamos bem, eu sei
Estão prontos para o mundo lá fora,
Eu só quero revê-la, minha Aurora
Você está me vendo? Veja minhas mãos
Estão velhas, não são mais macias, estão gélidas
Meu coração mal bate, mas bate por você
Ainda te amo, como quando nos encontramos
Se lembra de como éramos jovens?
Ah, nossa mocidade, nossas brincadeiras, a felicidade
Sinto que logo te verei, minha linda princesa
Não se preocupe, nossos filhos possuem uma bela vida
Me espere de braços abertos, pois eu estarei serelepe
Meus noventa anos foram dedicados a família,
Mereço rever minha querida, logo estarei aí em cima.

Déjà vu

Às vezes eu minto, às vezes eu choro
Às vezes eu rio, às vezes sinto ódio
Isso é normal, não sou especial
O meu mundo é igual, puro caos
Ando de mãos dadas com o mal,
Ando de mãos dadas com o baixo astral
Eu perdi os meus sentimentos,
Eu perdi os meus bons momentos
Tudo o que restou levo como passatempos
Cada dia me vejo mais sonolento,
Cada dia me afundo mais no tormento.

Em poucas ocasiões eu me apaixono
Em certas estações, fico no abandono
Acabo desmoronando, mas me recupero
E quando me vejo no espelho, estou como antes.

Tem vezes que não quero levantar
Tem vezes que o pesadelo me faz acordar
Sonhos? Sim, às vezes
Em grande parte, eu apenas escuto o meu choro
Nada mais importa, com tanto que eu me sinta feliz,
Ao menos uma vez, antes que a minha tristeza me sucumba
Não há cura, a vida é curta, então tento curti-la
Talvez eu não esteja aqui no ano que vem, talvez sim
Só quero que haja fim as minhas súplicas
Que eu encontre uma fuga dessa atormentada luta
O campo de batalha em minha mente está em cinzas,
Espero que a felicidade se torne minha linda vizinha.

sexta-feira, 20 de abril de 2018

Vamos Tentar?

Coração, me apaixonei, mas não funcionou
Eu não aguentei, ela disse que gostava de outro
Eu chorei, e tudo o que senti me derrubou
Estou aqui no quintal de casa,
Apenas tentando enterrar aquela tola falta
Não sei como pude acreditar em palavras,
E ser machucado por elas, falsas
A dor que sinto no meu peito doí de mais
Você sabe, coração, eu não fui sagaz
Confiei nela, mas ela foi só uma ladra
Roubou o amor que eu sentia,
E acabou roubando minha alegria.

Coração, estou me sentindo enganado
Fui sincero, juro, mas fui muito fraco
Cego me tornei, não vi os avisos deixados,
Pelos amigos que estavam do meu lado
Agora estou pagando um preço tão alto,
Que não sei se o quitarei
E só eu sei o quanto você está flagelado.

Não quero te prender, confio em você
Mas o mundo de hoje, coração, é outro
Não posso deixar você solto, a mercê
Vamos sofrer se isso acontecer
Estou sofrendo agora por confiar em alguém,
Alguém que clamava querer o meu bem
Estou refletindo, que tal não confiarmos,
Em mais ninguém?

Estou chorando muito, coração, muito
Minhas lamúrias incomodaram o surdo
Me culpo pelos meus vários descuidos
Não aguento mais ficar no escuro,
Mas, sempre que tento sair, me magoou
Os reinos tão, tão distantes ouvem o meu choro
Socorro, coração, socorro
Lágrimas rolam pelo meu rosto
Não sou o mesmo menino com sonhos bobos
Estou preso com uma dor que não se vai
As memórias de uma falsa prometida,
Se tornaram dolorosas de mais, fatais.

Não quero morrer sozinho, coração
Eu não quero me tornar amigo da solidão
Faça algo, por favor, me faça sentir um novo amor
Não me vejo sonhando um sonho só meu,
Não me vejo só, na companhia do vento
Quero sentir uma nova paixão,
Eu sei, coração, sei que doí
Mas vamos encontrar a paz, em outras mãos
Confie em mim, afinal somos só nós
Vamos amar novamente, desta vez prometo acertar
Prometo encontrar alguém que vamos confiar
Vamos tentar, coração?

quarta-feira, 18 de abril de 2018

Pegue o Telefone

Por que não me atende?
Por que não quer conversar?
O que aconteceu entre a gente?
Por favor, me responda,
Pegue o celular.

Não sei o que fazer,
Pois não sei o que há com você
Eu pensei por muito tempo o que fiz
Mas não encontrei nada para te aborrecer
Parece até que já não gostava mais de mim
Deixei de ser o seu lazer?
Deixei de te proporcionar prazer?
Diga alguma coisa, não só me ouça
Atenda, estou chamando, chamando a minha doida
Não faça isso comigo, não me deixe sozinho
Não vou conseguir, mesmo com meus amigos
Eu preciso do seu brilho, que tanto admiro.

Não sei o que se passa em sua cabeça
Não sei por que dessas suas incertezas
Parece até que você foi levada pela correnteza.

Me diga algo pelo menos
Por que está me ignorando?
Vamos nos ver pessoalmente
Sabe que te amo, que te adoro
Não me ignore, isso doí
Pegue o seu celular, pegue
Vamos conversar, chega de tanto brigar
Me mande uma mensagem qualquer,
Só para que meu coração pare de sangrar
Eu estou aqui apenas esperando,
Que as minhas mensagens sejam vistas
Pegue seu telefone, vamos, amor
Dessa forma está machucando minha vida.

Você sabe que sou seu, por favor
Volte a falar comigo, me perdoe
Não tenho certeza do que fiz
Mas me desculpe, volte com o seu calor.

Estou aqui na rua, no bar
Músicas boas, que me fazem relembrar
Das nossas noites que beijávamos sem parar
Das noites que assistíamos filmes de arrepiar
Viu? Eu ainda guardo essas memórias
Elas irão se eternizar, me fazendo chorar
Atende o celular, deixe eu falar.

Já estou saindo, estou triste
Pensei que me faria bem vir até aqui
Mas eu estou lembrando de você
Por favor, não faz assim
Vamos nos encontrar, vou estar lá
Prometo não te magoar, prometo te abraçar
Prometo não te abandonar quando se sentir sozinha
Prometo te mostrar como é importante, em frases líricas.

Meus amigos não estão conseguindo me animar
Minha família não me vê mais a sorrir
Vamos, eu preciso muito de ti
Estou sem vontade de sair, me ajude, por favor
Atenda, eu farei alguns ajustes em mim, me dê um sopro
Não sei como chegamos aqui, mas não quero te perder
Quero sentir sua cabeça repousar em meu ombro
Eu te amo tanto que está difícil conviver com o abandono.

Vou te mandar apenas essa mensagem
A leia quando estiver de passagem
Compreenda o tamanho da minha saudade
Vou ficar te esperando, só aceite minhas palavras
Estou perdido, meu coração se sente partido
Sinto a falta do seu sorriso, do seu abrigo
Acredito que o Cupido deixou de ser meu amigo
Amor, estou sozinho, acredite, não minto
Sinta a tristeza que abraça esse pedido,
Volte para mim, te necessito
O viver sem você é um viver sem o amanhecer
Eu te daria a Lua se acolhesse minha culpa
Ah, que falta faz sua conversa pura,
Sua pele escura como a noite que hoje me segura
E, enquanto caminho pelas ruas sujas,
Sinto sua presença, minha dama, sem ti vivo em uma cúpula
Atenda ao telefone, apenas me escute, mesmo que esteja com sono.

sábado, 14 de abril de 2018

Ana

Olá, você não me conhece
Mas gostei de como você se veste
Não tenho como escrever uma dedicatória
Tão pouco uma carta romântica,
Aqui escrevo versos, que batem na sua porta
Prometo escrever poucas palavras
Tentando encontrá-la na terça ou na quarta.

Não te conheço, mas veja no espelho
Você realmente vê lixo?
Que estranho, eu não vi isso
Várias fotos, com um sorriso lindo
Desculpe se estou sendo meloso,
Desculpe se estou sendo tedioso
Mas vou insistir em dizer,
Que para alguém, você é um tesouro
Se não para mim, para outro
Claro que crio expectativas fictícias
Vindas de uma galáxia perdida
Registrada em uma tv,
Como um documentário alienígena.

Com sua permissão, vou compartilhar
Um medo meu, me escute, minha sinceridade vai falar
Eu tenho medo de me aproximar, confiar
Tenho medo de amar, um amor não correspondido
Um amor mal compreendido, agredido
Tenho medo de ser deixado no escuro,
Com os meus pensamentos sombrios.

Você, ah você, o que te torna única?
Escrevo para você, leia, sem música
Adoradora de capivaras, que mente mágica
Claro que outras pessoas podem te ofender
Alegando que você possuí uma mente perturbada
Mas, se você não fosse doida como aparenta ser,
O brilho que vi não iria aparecer
Claro que não sou um anjo, para você me amar
Claro que às vezes despenco em prantos,
Mas, em palavras não quero te machucar
Quando disse que chora, a tristeza veio a me visitar
Não se culpe por isso, eu que devo me desculpar
Por não conseguir te animar, mas,
Vou confessar, não gosto muito de conversar pelo celular.

Escrevi bastante, sua mente é brilhante
Quero te oferecer uma alegria contagiante
Ainda não sei se nos veremos, você parece tão distante
Alguns amigos me perguntaram hoje se a convidei,
Disse que estou tentando, que perdi a conta,
De quantos foras eu já tomei de você
A insistência é uma maldição e uma maravilha
Não viva sem o seu coração,
Veja, madrugei, escrevo esse texto de dia
Você não pediu, mas pensei que poderia te entreter
Não vou repetir, como um antigo LP arranhando,
Que te gosto, mas, não diga que você é uma ninguém
Me conheça e você conhecerá uma vida triste, mas animada
Confusa? Eu sei, trilho uma confusa jornada
Acho que irei parar por aqui, sorria
Acho que falei de mais, viva mais a sua vida,
Sua vampira.

terça-feira, 10 de abril de 2018

Dama Dos Meus Sonhos

Você mal me conhece
Mas, não há problema
Eu também não me conheço
Mas, hoje venho aqui me declarar
Espero que eu não te assuste
Eu não sei o que é amar,
Mas, se não for incomodo, me escute
Desculpe, eu não sei cantar
Desculpe, eu não sei tocar
Mas, mesmo que eu não tenha um violão,
Espero, sinceramente,
Que minhas palavras alcancem o seu coração.

Não sei se você gostará
Confesso que tenho medo,
Que você possa odiar
Se você estivesse aqui agora,
Minha voz não me deixaria conversar
O papel agora tenta fugir de mim
Meus dedos dificultam, esperando o sim
Porém, estou dedicando
E, mesmo que eu não seja Assis,
Mesmo que eu não seja um poeta
Tentarei de agradar assim,
Com uma dedicatória sincera
As palavras que mais amo eu usarei,
Os versos prediletos eu escreverei
Os ouça, bela donzela.

Pudera eu ser capaz de resumir,
Mas não conseguirei, me perdoe
Me preocupo se você conseguirá me ouvir
Você já contracenou junto a mim tantos sonhos,
E sempre que acordo, eu percebo
Que você é a razão de eu ser feliz
Infelizmente não sou rico,
Não posso te oferecer um passeio sobre o Nilo
Mas, eu ofereço a você meus textos líricos
Estou desenhando o seu sorriso,
Estou imaginando os seus cílios, o seu brilho
Seus olhos me cativam tanto,
Que me vejo pensativo, inspirado, criativo
Novamente, perdoe, sei que estou divagando
Talvez o que estou passando seja amor
Um sentimento facilmente reconhecível,
Mas, tão pouco compreendido.

Talvez eu deveria escrever uma carta
Poucas palavras já bastavam
Que atrapalhado, acabei ficando envergonhado
Não sei se você gostará do que escrevi aqui
Escrevi tão pouco sobre mim
Mas, eu estou sonhando o mesmo momento
Em que você está aqui comigo,
Assistindo a um filme, abraçados,
Apenas aproveitando o tempo
Enquanto eu sinto o gosto do seu doce beijo.

Filho Errante

Aqui estou novamente escrevendo
Mas, desta vez não será uma depressão
Ao menos, essa não é a minha intenção
Só quero transparecer um pensamento
Estou passando por complicações
Estou tentando superar certas discussões
Não vou dizer que estou tirando de letra,
Muito menos que a minha vida está perfeita.

Mesmo que eu brigue com os meus pais
Mesmo que eu saia de casa e não volte nunca mais,
Sei que eles sempre pensarão em mim,
Sei que eles sempre me aceitarão de volta
Eu devo tudo o que sou, devo tudo o que me tornarei
Eles não são meus anjos da guarda,
Sei que eles não estarão para sempre aqui em casa
Mas, me esforçarei para, ao menos, alegrá-los
Agora não estou escrevendo um desabafo
Não estou escrevendo por acaso
O tempo me tornou adulto, meio defeituoso
E, quanto mais eu mudo, mais eu os machuco
Mas, sei que é difícil entender, mas é sem querer
Eu acabo fazendo isso às vezes sem perceber
Saio de carro e esqueço de me despedir,
Volto à noite e não digo o que fui fazer
Não sei se estou machucando eles a contra vontade
Ou se, a solidão lavou tanto a minha mente,
Que eu destruí aquela criança que um dia trouxe a felicidade.

Estou escrevendo rimando por acidente
Estou chorando, me arrependendo repetidamente
Eu sempre me preocupei com a altura,
Mas, o que me feriu foi a queda
Acho que deixei minha alegria trancafiada em uma sala escura,
Em uma escola que fora totalmente esquecida
E, acabei preenchendo o espaço com o desespero
A lei da física me deixou preso
As paredes me trancaram, continuo sem sentir o vento.

Muitas situações eu previ, ainda assim as sofri
Tudo por conta do meu jeito que escolhi viver
Não sei o que fazer, mas sigo assim.

Vou terminar agora esse texto
Talvez eu me aposente em termos leigos
Mas, não mudarei, não tem como, já tentei
As brigas irei curar, mas sei que surgirão outras,
Só espero que minhas ideias continuem soltas.